21 de abril de 2021 Atualizado 00:43

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Negócios

Campinas registra saldo positivo de novas empresas abertas

Cidade registrou em janeiro o maior número de empresas abertas dos últimos doze meses

Por Milton Paes

08 fev 2021 às 17:46 • Última atualização 08 fev 2021 às 17:47

Mesmo com a pandemia da Covid-19, Campinas se destacou na abertura de novas empresas. Segundo um levantamento da Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp), a cidade registrou em janeiro o maior número de empresas abertas dos últimos doze meses. Foram criados 678 novos negócios, um aumento de 8,4% em relação ao mesmo mês de 2020, quando 625 empresas foram abertas. Embora com 309 empresas encerradas, o saldo é positivo em 369 negócios, o maior desde janeiro do ano passado.

O número de empresas abertas em Campinas em janeiro foi 42,1% superior a dezembro e, de fechamentos, 20,2%. Em dezembro foram abertos 477 novos negócios e encerrados 257, um saldo de 220 empresas criadas. Já 2020 fechou com um saldo positivo de 2.588 empresas, resultado de 5.658 criadas e 3.070 encerradas.

Avenida Francisco Glicério, no Centro de Campinas: janeiro teve o maior número de empresas abertas dos últimos doze meses – Foto: Luiz Granzotto / Prefeitura de Campinas_30.08.2018

Na avaliação do prefeito de Campinas, Dário Saadi, este aumento de novas empresas indica para uma retomada da economia, mesmo que de forma um pouco mais lenta, tendência que deve se ampliar com a vacinação da população contra a Covid-19. Dário entende que para isso ocorrer é necessária uma mudança e modernizar a gestão.

“Os empreendedores terão todo o apoio para crescer em Campinas. A proposta é inovar e modernizar a gestão, e vamos começar pela área de urbanismo, na aprovação de projetos. A ideia é facilitar e dar rapidez na abertura de empresas, na aprovação de empreendimentos na cidade, para atrair investimentos e gerar empregos”, disse.

A secretária de Desenvolvimento Econômico de Campinas e presidente da Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas), Adriana Flosi, acredita que mesmo diante do grave quadro registrado com o aumento do número de mortes e contaminações por Covid no início do ano os campineiros viram oportunidades de negócios na crise.

“Nosso propósito é tornar Campinas a cidade mais amigável do Brasil para se fazer negócio. Vamos garantir maior agilidade para viabilizar aberturas de empresas e criar uma política fiscal justa e atrativa para o empreendedorismo”, declarou.

O programa de desburocratização da Prefeitura, que tem como meta inovar e modernizar a gestão, prevê que o empreendedor poderá obter a viabilidade para a abertura de sua empresa em até três dias.

O programa, apresentado a representantes de entidades do setor imobiliário, vai começar pela área de urbanismo, para dar rapidez à aprovação dos projetos, alavancar investimentos e gerar empregos na cidade.

Publicidade