Votação de projeto que reajusta IPTU foca indecisos

Projeto do Executivo que reajusta em 4% valor do imposto em 2019 já foi adiado três vezes e deve ter votação apertada nesta quinta-feira


Os vereadores de Americana devem discutir e votar nesta quinta-feira o projeto do Executivo que reajusta em 4% o valor do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) de 2019. Adiado três vezes, o projeto terá votação apertada, e a decisão, salvo surpresas de última hora, está nas mãos de dois parlamentares: Guilherme Tiosso (PROS) e Odir Demarchi (PR), cujos votos ainda são dúvida. A dificuldade na aprovação se dá pela saída do PSDB da base do prefeito Omar Najar (MDB), que agora tenta recompor o grupo de apoio.

Foto: Arquivo / O Liberal
Voto de Guilherme Tiosso (PROS) sobre o projeto ainda é dúvida

De acordo com o líder do governo Omar, Luiz Cezaretto, o Luiz da Rodaben (PP), a base tem os 10 votos necessários para aprovação do projeto. Ele disse ainda que o MDB deve votar favoravelmente, de forma que, em caso de empate, a decisão ficaria com o presidente Alfredo Ondas (MDB). Ele não crê em um novo adiamento. “Isso precisa ser definido logo para não atrasar a emissão dos carnês e não prejudicar o parcelamento”, afirmou.

O vereador Marco Antonio Alves Jorge, o Kim (MDB), disse que independente de orientação partidária, o projeto precisa ser aprovado para evitar renúncia de receita. “O preço de tudo está subindo com a inflação, a previsão é de 6%, e o IPTU precisa dessa reposição, que inclusive está abaixo da previsão”, afirmou.

O líder da bancada do PSDB, Thiago Brochi, disse que o partido fechou questão em relação ao projeto e que os três parlamentares votarão contrariamente. A decisão foi tomada há duas semanas, logo após o racha do partido com o governo. Esse reforço dos tucanos à oposição fez, inclusive, o projeto ser adiado há duas semanas.

Mesmo com os tucanos declarando o voto, os vereadores manifestamente contrários ao reajuste somam oito. Entre os favoráveis, sem contar o presidente, que só vota em caso de empate, também há oito. O LIBERAL questionou Odir e Tiosso sobre seus votos, e ambos disseram nesta quarta que ainda estavam analisando o projeto e tomando a decisão.

Apesar da provável votação apertada, as chances de base, mesmo sem os tucanos, são razoáveis, afinal, se cada um dos dois indecisos for para um lado, haverá empate em 9 a 9, e o líder de governo acredita que o desempate é favorável. Entretanto, se ambos forem contrários, o reajuste ficará pelo caminho.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!