Vigilância pede que população se vacine contra sarampo em Americana

Vacinas disponíveis na rede pública são a tríplice e tetra viral, que além de imunizarem contra o sarampo, também protegem contra caxumba e rubéola


A Prefeitura de Americana, por meio da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, reforçou nesta quinta-feira (15) a importância da vacinação contra o sarampo, principalmente para as crianças. A doença já causa internações e preocupação entre autoridades e moradores em cidades do interior de São Paulo, inclusive em Hortolândia, onde uma menina menor de idade foi diagnosticada com a doença.

A cidade de Campinas também teve quatro casos registrados nesta semana, todos eles em crianças de uma mesma escola, na qual já foi feito o bloqueio com vacinas.

Foto: Marcelo Camargo / ABr
Vacinas estão disponíveis nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) de Americana

A unidade reforça que estão disponíveis na rede pública as vacinas tríplice e tetra viral que, além de imunizarem contra o sarampo, também protegem o paciente contra caxumba e rubéola. As doses estão disponíveis em todas as UBS do município, de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h.

Quem tiver entre 12 meses e 19 precisa receber duas doses da vacina, sendo que, para quem tem idade entre 30 e 59 anos, apenas uma única dose é indicada. Profissionais da área da saúde também são orientados para que se vacinem duas vezes.

 

O estoque das vacinas no município é de aproximadamente 2.500 doses, que são repostas mensalmente, de acordo com a necessidade do município. A equipe da Vigilância Epidemiológica destaca que, até o momento, não foi adotada nenhuma medida excepcional, como bloqueios ou vacinação em massa.

Quais os sintomas?
Febre alta, coriza, tosse, olhos avermelhados, manchas vermelhas na pele, manchas brancas na parte interna das bochechas

Quais as possíveis complicações?
Inflamação no ouvido, broncopneumonia, diarreia e encefalite. Pode levar à morte relacionada às complicações, especialmente a pneumonia e a encefalite.

Como ocorre a transmissão?
Por meio das secreções expelidas pelo doente ao tossir, respirar ou falar e que permanecem dispersas no ar, principalmente em ambientes fechados

Tem tratamento?
Não há tratamento para o vírus do sarampo. Apenas para os sintomas e para as complicações

O sarampo é um problema no Brasil?
O País chegou a receber a certificação de erradicação do sarampo em 2016, mas deve perdê-la este ano após a circulação da doença. No ano passado, foram confirmados mais de 10 mil casos no país, a maior parte deles no Amazonas.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora