Vendedor que matou o pai alega legítima defesa e aponta histórico de agressões

Defesa sustenta que o ex-PM tinha problemas psiquiátricos e agredia verbal e fisicamente o filho e sua mulher há 15 anos


Foto: Reprodução - Facebook
Defesa de Ivo alega legítima defesa e sustenta que o ex-PM tinha problemas psiquiátricos

Um vendedor de 28 anos foi preso por matar o próprio pai a facadas na noite desta sexta-feira, na Vila Santa Inês, em Americana.

Segundo o boletim de ocorrência, Ivo de Oliveira Ambrósio admitiu que esfaqueou várias vezes o policial aposentado Paulo Sérgio Ambrósio, de 53 anos, após uma discussão envolvendo ele, sua mãe e o pai.

A defesa de Ivo alega legítima defesa e sustenta que o ex-PM tinha problemas psiquiátricos e agredia verbal e fisicamente o filho e sua mulher há 15 anos.

O caso ocorreu na casa da família na Rua Antônio Feliciano Castilho, na região da Vila Omar, por volta das 22h.

Inicialmente, a Polícia Militar foi acionada para atender um suposto caso de suicídio.

No local, os policiais encontraram o corpo de Paulo Sérgio no chão da sala, com ferimentos de facadas no tórax e no abdômen, e próximo a ele, duas facas.

Em seguida, chegou ao local o Corpo de Bombeiros, que levou o aposentado ao Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi.

No boletim de ocorrência, um bombeiro que atendeu o caso disse ter estranhado “o momento do acionamento do socorro, pois, pelos sinais de Paulo Sérgio, o pedido de ajuda não fora realizado com a urgência que se fazia necessária”. Após atendimento no HM, a perícia foi informada de que o ex-policial havia sido vítima de homicídio.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
No local, os policiais encontraram o corpo de Paulo Sérgio no chão da sala, com ferimentos de facadas no tórax e no abdômen

VERSÕES. O vendedor e a mãe entraram em contradição sobre o que havia ocorrido no local. Ivo, porém, acabou admitindo o homicídio. Segundo a versão no boletim de ocorrência, ele justificou que discutiu com o pai e presenciou uma briga entre ele e sua mãe, situação que era frequente.

Ele ainda sustentou que o pai estava com uma faca pequena e chegou a investir contra ele, que reagiu com outra faca maior, que já guardava debaixo de seu colchão devido ao histórico agressivo do ex-PM.

Ainda conforme o boletim de ocorrência, a mãe admitiu que presenciou o filho esfaqueando o marido, tentou intervir e separá-los e feriu uma das mãos com um pequeno corte. Sobre a mudança na versão, ela justificou que temia pela prisão do filho, que negou que ela tenha participado do homicídio.

O vendedor ficou preso e vai passar por audiência de custódia no Fórum de Americana neste domingo. Sua mãe foi liberada.

HISTÓRICO. Advogado de Ivo, Osmar Santa Maria diz que o caso é de legítima defesa. “Era um pai com problemas mentais, que atormentava a família, agredia a mãe com frequência, agredia o filho também, tanto verbalmente quanto fisicamente”, afirmou

“Ontem [dia do crime], em função de um diagnóstico médico na parte da manhã, ele ficou transtornado e descarregou isso na família. O Ivo, agiu em legítima defesa da mãe e de si mesmo”, argumentou.

Segundo sua versão, o vendedor foi ameaçado com uma faca pelo policial aposentado, que depois chegou a agredir sua mulher com a arma, momento no qual o filho interveio e usou uma faca que tinha comprado para seu casamento – o vendedor é noivo.

“O filho fez o que qualquer filho faria vendo a mãe sendo agredida com faca por um pai totalmente descontrolado. Não tinha outra coisa a ser feita naquele momento, porque senão seriam duas mortes”, acrescenta.

O defensor ainda afirmou que o ex-PM tinha histórico de tentativas de suicídio e já chegou a apontar um revólver para Ivo e a mãe do rapaz.

“Conheço a família, sei do que estou falando. A mãe suportava tudo de forma velada”, contou ao LIBERAL. A reportagem esteve na casa da família na manhã deste sábado, mas ninguém quis comentar o caso.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora