Unisal terá 12 novos cursos no ano que vem

Arquitetura e biomedicina são algumas das novas opções que serão incluídas na grade de 2020; serão seis presenciais e outro seis à distância


O Unisal (Centro Universitário Salesiano de São Paulo) Americana anunciou 12 novos cursos para 2020, sendo seis presenciais e mais seis na plataforma EAD (Ensino à Distância). A novidade foi anunciada pelo diretor de Operações da universidade, Marcelo Augusto Scudeler, que assumiu a função em janeiro depois de 18 anos no Unisal Campinas.

Os novos cursos presenciais são os de arquitetura, farmácia, biomedicina, educação física, engenharia química e engenharia mecânica, distribuídos entre os campi Maria Auxiliadora e Dom Bosco. No EAD estão pedagogia, administração, ciências contábeis, marketing, logística e processos gerenciais.

Foto: Guilherme Magnin / O Liberal
Marcelo Augusto Scudeler assumiu a função no Unisal em janeiro

“A ideia central é que o Unisal inicie um caminhar de crescimento aqui em Americana. Hoje a gente tem 14 cursos, para o próximo ano estamos oferecendo 20, ou seja, a gente quase dobra o número de cursos oferecidos na cidade e, no caso do EAD, para o Brasil todo”, ressalta Scudeler.

Segundo o diretor de Operações, a aposta do Unisal Americana nos cursos à distância é uma decisão que veio para ficar e atende a uma nova realidade de mercado. A universidade também inova ao incluir cursos na área de saúde, outra demanda que contribuiu para a formação da nova grade.

Scudeler, que é advogado, professor e trabalhou durante 18 anos no Unisal Campinas, fala do desafio da nova função em Americana e da filosofia dos salesianos em Americana.

Depois de 18 anos trabalhando com os salesianos em Campinas, como você encara esse momento novo, sua vinda para Americana?

SCUDELER 
É um grande desafio. Embora Campinas seja uma cidade maior, o Unisal lá não era tão grande e complexo como o de Americana. Aqui tem mais alunos, mais cursos, professores. A gente tem um mestrado. Embora eu conheça bem como funciona a máquina salesiana, é um ambiente totalmente diferente.

Por que a opção de ampliar também os cursos no ensino à distância? Seria, talvez, para atender uma nova realidade do mercado?

SCUDELER 
Estatisticamente, hoje um quinto dos estudantes universitários no Brasil está no EAD e quando a gente verifica as projeções de crescimento do ensino superior no Brasil, os cursos presenciais estão estagnados desde 2017, mas as matrículas no ensino superior no Brasil, genericamente, estão crescendo, e o crescimento se dá no EAD. Há estimativas que em 2023, 2024 o número de alunos estudando no EAD será maior que os alunos do presencial. A plataforma no EAD veio para ficar e os salesianos não podem deixar de participar desse segmento.

Você acredita que os salesianos demoraram para aderir ao EAD?

SCUDELER 
A gente pode dizer que num determinado momento os salesianos, até pela pedagogia que se propõem, hesitaram. Eles têm uma preocupação na formação educacional que eles chamam de filosofia da presença, que é a ideia do educador junto com os alunos. Mas esse conceito a gente tem que refinar porque a gente pode estar junto do aluno não necessariamente na parte física, na sala de aula ou no pátio, mas também nas plataformas digitais.

Fazendo uma brincadeira, a gente tem hoje o pátio no ambiente presencial onde há uma interação dos alunos e no EAD o pátio é o celular, ou seja, você pode ter várias interações à distância sem ser necessariamente cara a cara. Então, respeitando as definições pedagógicas que os salesianos se propõem, dá para você trabalhar no EAD sem deixar de lado valores que são centenários.

A ideia de atuar também no EAD é que é possível oferecer ensino de qualidade com valores salesianos também nessa plataforma. Foi um processo que até demorou para se concretizar porque houve toda uma reflexão, uma preocupação em entrar, mas sem perder os nossos valores.

Na sua opinião, o que determina a opção por um curso EAD ao invés do presencial?

SCUDELER 
São públicos diferentes. O curso de administração, por exemplo, a gente oferece o presencial e também vai oferecer o online. A gente vai concorrer com a gente mesmo? Não. São perfis diferentes. A gente percebe que para o estudante mais jovem, que acabou de sair do ensino médio e ainda não tem disciplina rigorosa e rotina madura, o ideal é que trabalhe com o ensino presencial.

O EAD exige um estudante mais maduro, que tenha mais disciplina, porque é uma plataforma com mais autonomia de ensino. Estatisticamente, de maneira geral, a evasão no EAD é muito maior porque muitas vezes o estudante entra achando que é tranquilo, mas a exigência que ele tem de absorver é muito maior. O EAD exige muita disciplina do aluno.

Como foi feita a escolha dos novos cursos do presencial?

SCUDELER
Primeiro a gente está entrando com alguns cursos que têm proximidade com cursos que já temos. Quando a gente fala de engenharia química, mecânica e arquitetura a gente já tem estrutura de laboratório construída. A gente tem, por exemplo, o curso de engenharia civil que vai dialogar muito bem com o curso de arquitetura. Então esses três cursos eram um passo natural com as engenharias que nós já tínhamos.

Agora educação física, biomedicina e farmácia são novos para nós. É uma nova área para a gente, que é a de saúde. E os salesianos até então não tinham essa vivência, de humanas e exatas. Acreditamos que exista demanda. A preocupação com a qualidade de vida faz com que a sociedade volte os olhos para os cursos de formação na área de saúde.

Então temos a ambição de entrar e firmar nossos pés não só nas engenharias ,como a gente tem tradição, direito e administração e nas licenciaturas, mas também na área da saúde.

Fale um pouco sobre a filosofia dos salesianos aplicada à educação.

SCUDELER
Eu costumo dizer o seguinte. O Unisal não é melhor e nem pior que outras instituições de ensino. Nós temos valores que nos caracterizam. Você pode até não acreditar, por exemplo, na santidade de Dom Bosco, que é o fundador dos salesianos, mas os valores que Dom Bosco deixou independem da sua orientação religiosa. E os valores que os salesianos propõem são os valores da educação salesiana, os valores que Dom Bosco criou há mais de 200 anos.

A educação salesiana parte do pressuposto que a gente deve ter diálogo muito próximo com o aluno sem deixar de ter firmeza educativa. Isso faz com que a educação salesiana seja diferenciada. Para os salesianos, educação não é um negócio, mas uma missão.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora