Último dia para saque é marcado por grande movimento

Fluxo de pessoas curiosas e de alguns atrasados chegou a complicar os atendimentos em agências da Caixa em Americana durante esta segunda-feira


O último dia para sacar o dinheiro das contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) foi marcado pelo grande movimento nas agências da CEF (Caixa Econômica Federal). Em Americana, por exemplo, 15 minutos antes da unidade na Avenida Paschoal Ardito abrir, mais de 50 pessoas aguardavam por uma senha de atendimento.

Dentro da agência a espera também foi grande, isto porque boa parte daqueles que procurou o banco na data possuía pendências na documentação para o saque, o que comprometeu a agilidade nos serviços.

O autônomo Lucas Rocha, por exemplo, estava indo a um supermercado e resolveu retirar R$ 45 de uma conta inativa para usar nas compras. Desistiu ao ver a fila e saber que precisava complementar seus dados bancários.

Foto: Mariana Ceccon / O Liberal
Muita gente decidiu ir ao banco no último para checar de havia dinheiro do FGTS

“Eu tentei sacar na lotérica por conta do valor baixo, mas aí imprimiram um aviso de que a operação não estava autorizada. Chegando aqui na Caixa me avisaram que eu precisava da minha carteira de trabalho”, pontuou. Após entrar e sair três vezes do banco o autônomo descobriu que o valor havia sido depositado em uma conta com número diferente do seu documento. “Vou para casa tentar trazer toda a papelada, mas não sei se vale a pena”, comentou.

Na Avenida Iacanga o estudante Luiz Paulo Rossignoli foi vencido pela curiosidade e resolveu entrar na agência para consultar suas contas. A insistência valeu a pena. “Achei um dinheirinho. Só vai dar para a conta do cartão de crédito”, comentou.

Empolgado com a descoberta ele estava voltando para casa buscar a documentação dos pais e se certificar que eles não tinham nenhum valor em aberto. “A fila está grande demais”, comentou. Nesta unidade quem buscou atendimento na área não saiu em menos de uma hora.

Previsto

De acordo com o superintendente regional da Caixa, Sérgio Scramin, o movimento durante esta segunda-feira já era esperado. “Ainda não temos balanços fechados, mas foi perceptível que muita gente esteve nas agências hoje (ontem), algo esperado por nós”, comentou. Segundo ele, a maioria era pessoas que já tinha ido uma vez e voltou para ter certeza de que não havia dinheiro para sacar ou voltou para regularizar alguma pendência.

“Mas claro que também muitas pessoas deixaram para a última hora mesmo”, pontuou. Apesar de o atendimento ter sido mais complexo, o profissional garante que a instituição financeira não deixou ninguém desassistido. “Em território nacional calculamos que 99% do montante disponível já foi sacado”, finalizou.

Banco publica decreto com prorrogação especial

Aqueles que passaram por uma situação de doença que impediu a locomoção ou foi preso e recolhido em regime fechado, entre os dias 10 e 31 de julho, terão uma nova oportunidade para sacar as contas inativas.

No dia 26 deste mês, um decreto da Presidência da República foi publicado prorrogando o prazo até o dia 31 de dezembro do ano que vem para pessoas que se encontram em uma dessas situação.

Os trabalhadores precisam comprovar que estiveram impossibilitados de ir pessoalmente até as agências para serem enquadrados nesta exceção. Serão válidos para casos de doença somente atestados médicos.

“Para os casos de reclusão em regime fechado deve ser apresentada certidão em nome do titular da conta do FGTS obtida junto à Vara de Execução Penal, Vara de Execução Criminal, juízo responsável pelo decreto da prisão, ou pela autoridade da unidade prisional”, esclareceu a assessoria de imprensa do banco por meio de nota.

Aqueles que não fizeram o saque nos últimos meses poderão retirar o dinheiro apenas em situações previstas em legislação como compra de imóveis, demissões e doenças graves.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora