Três áreas são cotadas para nova Câmara de Americana

São elas os terrenos da antiga cadeia, outro ao lado do Polivalente e o pavilhão da Fidam, segundo Rodaben


Três espaços de Americana são cotados para receber um novo prédio da Câmara: a área da antiga cadeia pública de Americana, na Avenida Brasil; o terreno que pertencia à União Operária ao lado da Etec-Polivalente, na Avenida Nossa Senhora de Fátima, e o pavilhão da Fidam (Feira Industrial de Americana). A informação é do vereador Luiz Carlos Cezaretto, o Luiz da Rodaben (PP), novo presidente do Legislativo. A construção de espaço próprio para abrigar os vereadores está nos planos do presidente, que pretende tirar a ideia do papel até o final do seu mandato de dois anos.

Para transformar o projeto em realidade, Rodaben diz contar com o apoio dos demais vereadores e cita o valor pago de aluguel pelo prédio atual para justificar o plano. “O gasto com o aluguel em quatro anos é mais que suficiente para construir um prédio próprio, ou seja, em um mandato você constrói e livra o Legislativo para sempre desse custo”, estima o presidente.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Terreno ao lado do Polivalente, na Nossa Senhora de Fátima

O imóvel onde funciona a Câmara custa R$ 57 mil mensais ao Legislativo e vem sendo usado como sede pelos vereadores desde a mudança do prédio da Avenida Brasil, onde está a prefeitura. Na visão de Rodaben, o custo para viabilizar a obra não seria empecilho. Ele cita o valor economizado pela Câmara no biênio 2017/2018 e devolvido à prefeitura como sendo mais que suficiente para dar vida ao projeto. Foram devolvidos ao Executivo cerca de R$ 10 milhões neste período.

“Se conseguirmos mais uma vez essa quantia e a doação de um terreno pela prefeitura daria para fazer a Câmara nova e ainda sobraria dinheiro”, diz o novo presidente da Câmara.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Área da antiga cadeia, na Av. Brasil com a Rua Gonçalves Dias

Das três opções de área, Rodaben cita a Fidam como sendo a mais rápida e barata. “Já está tudo coberto, basta fazer as divisões internas. Tem tudo lá, até estacionamento”. A propriedade do espaço, no entanto, é alvo de disputa judicial entre a prefeitura e a Fidam, que obteve decisão favorável em primeira instância. Mesmo assim, o presidente ainda acredita na possibilidade da área voltar para o município.

Rodaben espera se reunir com o prefeito Omar Najar (MDB) esta semana para discutir o assunto. A conversa definirá os rumos do projeto. “Vou ver se a prefeitura tem interesse num prédio que comporte os dois poderes e de que forma isso poderia acontecer”, explica Rodaben. O presidente da Câmara defende a centralização dos serviços públicos para facilitar a vida do contribuinte, mas não descarta um projeto independente para o Legislativo se essa for a opção mais viável.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Disputa judicial pela propriedade da área da Fidam pode inviabilizar uma das alternativas

O presidente da Câmara, Luiz Carlos Cezaretto, o Luiz da Rodaben (PP), vai solicitar um estudo de viabilidade para o projeto do arquiteto Oscar Niemeyer, elaborado no final da década de 90 e que prevê um novo prédio conjunto para Executivo e Legislativo. “Precisamos saber o valor da construção”, disse, sobre o antigo projeto. Ele afirma que gostaria de um projeto “eficiente na utilização e econômico na construção”.

O projeto de Niemeyer foi elaborado na gestão do então prefeito Waldemar Tebaldi ao custo de R$ 664 mil (em valores da época). O projeto inicial previa a construção na área da antiga garagem municipal, onde hoje funciona o CCL (Centro de Cultura e Lazer), na Avenida Brasil. Em agosto de 1998, quando foi apresentado oficialmente ao chefe do Executivo, o custo para execução da obra era estimado em R$ 9 milhões.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!