TJ determina prisão de três condenados pela morte de vendedor

Paulo Henrique Vidotti morreu após se envolver em uma briga em um churrasco, em novembro de 2012


O TJ-SP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo) determinou, em outubro, que a 1ª Vara Criminal de Americana expeça os mandados de prisão contra os três condenados pela morte do vendedor Paulo Henrique Vidotti, ocorrida em janeiro de 2013. Bruno César Aquilan, Rafael Renan Zanon e Renan Berlofa Barbosa foram condenados a quatro anos e oito meses de prisão, em regime semiaberto, pelo crime de lesão corporal seguida de morte.

O ofício, expedido por ordem do desembargador Fernando Simão, comunica que já se esgotaram os recursos previstos em segunda instância, o que segundo decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), permite que a pena comece a ser cumprida.

Os réus e a vítima se envolveram em uma briga após um churrasco no Jardim Nossa Senhora de Fátima em novembro de 2012. Segundo a denúncia, Vidotti estava embriagado e sofreu socos e chutes dos outros três rapazes. Ele foi internado com traumatismo craniano e morreu dois meses depois.

O advogado de Renan Berlofa, Paulo Henrique de Moraes Sarmento, disse que já apresentou recursos, tanto contra a decisão do TJ de manter a condenação, quanto da expedição do mandado de prisão. “Apresentamos o recurso especial e um Habeas Corpus no Superior Tribunal de Justiça. O segundo conta, inclusive, com parecer favorável da Procuradoria Geral da República”, disse.

O advogado Manoel Carlos de Oliveira, responsável pelas defesas de Bruno e Rafael, não retornou o contato feito pela reportagem para se manifestar sobre o caso.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!