Terrenos e calçadas lideram relação de queixas no SAC

Dados estão disponíveis no informativo socioeconômico de Americana; nele, constam 3.971 reclamações ao todo, como pedidos de poda e reparo no asfalto


As requisições de vistoria em terrenos e calçadas particulares representaram 25% das solicitações feitas à Prefeitura de Americana por meio do SAC (Serviço de Atendimento ao Cidadão). Elas lideraram a lista de reclamações registradas em 2018 no município, com 1.011 requerimentos desse tipo.

Os dados estão disponíveis no informativo socioeconômico divulgado pela administração. Nele, constam 3.971 reclamações ao todo. Entre elas, pedidos de poda em árvore, reparo no asfalto e limpeza em bueiros, por exemplo.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Falta de manutenção em terrenos faz parte dos principais questionamentos

O LIBERAL mostrou em 9 de junho que só no Jardim Boer I e II, a prefeitura havia emitido cerca de 750 notificações intimando proprietários a limparem áreas ou construírem o passeio entre os meses de maio e junho, conforme divulgado em publicações do período no Diário Oficial.

A presidente da associação amigos de bairro, Alessandra Vilas Boas, até tem observado uma diminuição nos casos de terreno com mato alto no Boer, mas a situação se inverte quando diz respeito a entulho acumulado nos espaços.

“As pessoas colocam lixo onde não é para colocar. Onde vou, tem lixo jogado na calçada em área verde, onde era pra gente preservar. As pessoas não se conscientizam de que, se tiver lixo, dá inseto, rato, barata e escorpião”, disse.

Para ela, um dos dispositivos que pode ser usado para conscientizar a população é o endurecimento da legislação.

AUMENTO

Um projeto de lei do vereador Thiago Brochi (PSDB) que aumenta o valor da multa aplicada aos proprietários de imóveis que não limparem seus terrenos foi aprovado em redação final na sessão da câmara do último dia 4.

A multa passa de R$ 2,56 para R$ 5,30 (0,2 Ufesp – Unidade Fiscal do Estado de São Paulo) por metro quadrado para imóveis residenciais e para R$ 7,95 (0,3 Ufesp) para imóveis comerciais e industriais. Para entrar em vigor, no entanto, o texto aguarda sanção e regulamentação do prefeito Omar Najar (MDB).

Ao LIBERAL, a Prefeitura de Americana afirmou, por meio de nota, que “o uso do canal de atendimento ao cidadão é vital à ação de fiscalização da prefeitura”. Mencionou ainda que “a fiscalização é constante e a prefeitura se esforça no sentido de acompanhar e atender à demanda da população”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora