TCE cobra solução para falta de leitos e pessoal no Municipal

Órgão apontou problemas em unidade de Americana; prefeitura diz que novo pronto-socorro resolverá a questão


O TCE (Tribunal de Contas do Estado) notificou a Prefeitura de Americana esta semana após encontrar irregularidades no Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi durante uma fiscalização. O órgão considerou há falta de leitos, de pessoal e que o prédio precisa de reformas gerais.

A fiscalização foi realizada pelo órgão no dia 25 de junho em uma ação ordenada em 300 unidades de saúde em todo o Estado de São Paulo. Em Americana, o TCE constatou que as condições da sala de espera não são boas, que há salas lotadas e pacientes esperando em macas.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Obras de anexo de hospital devem ajudar a resolver problemas

“Na entrada do hospital o atendimento é mais organizado. Contudo, a falta de leitos e de pessoal [enfermagem], comprometem o atendimento do hospital”, traz o relatório produzido com a fiscalização.
Outro problema identificado se refere à acessibilidade.

De acordo com o órgão, há espaços que não estão adequados a pessoas com deficiência, incluindo banheiros. Ainda sobre sanitários, o TCE apontou que eles existem em quantidade abaixo do necessário para atender a quantidade de pacientes e acompanhante, além de estarem com vazamentos.

Os agentes de fiscalização estiveram no setor de medicamentos e constaram que havia remédios com prazo de validade para dali apenas cinco dias. O relatório produzido aponta ainda a falta de AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) e ventiladores sujos na área de internação.

O TCE explicou que após uma fiscalização, as prefeituras são notificadas sobre as eventuais irregularidades. Contudo, não se estabelece um prazo para que sejam resolvidas, “pois a própria prefeitura sabe que essas irregularidades serão analisadas no relatório de contas do município. Caso, não tenha sanado os eventuais problemas, o parecer pode até ser desfavorável”.

A Prefeitura de Americana informou que a administração do Hospital Municipal ainda não foi notificada e que não poderia se manifestar. “Ressalta-se, entretanto, que muitos dos apontamentos indicados pela reportagem serão sanados com a entrega do novo pronto-socorro, neste ano”, respondeu.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora