06 de julho de 2020 Atualizado 17:48

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Americana

Subadutora da Avenida Campos Sales rompe pela 7ª vez no ano

Bombeamento foi interrompido e abastecimento na região pode ficar comprometido, informou o DAE; tubulação da via precisa ser trocada

Por André Rossi

24 mar 2020 às 19:39 • Última atualização 25 mar 2020 às 09:28

Foto: Susy Coutinho / Prefeitura de Americana
Subadutora da Avenida Campos Sales apresentou problemas mais uma vez

A subadutora de água localizada na Avenida Campos Sales, em Americana, apresentou um novo rompimento na tarde desta terça-feira. É a sétima vez no ano que a estrutura apresenta problemas de vazamento. O pregão presencial para trocar toda a tubulação da via foi realizado ontem, mas ainda está na fase de apresentação de documentos.

Clique aqui e se inscreva no nosso canal do Telegram e receba as notícias no seu celular!

Uma equipe do DAE (Departamento de Água e Esgoto) chegou ao local por volta das 15h30 para tentar reparar a subadutora. A autarquia informou que era “possível” que o abastecimento de água na região fosse comprometido em função da interrupção do bombeamento. Até o fechamento desta edição não havia previsão para conclusão do serviço.

Em entrevista ao LIBERAL no dia 10 de março, o diretor geral do DAE, Carlos Zappia, disse que era preciso “rezar” para que um novo rompimento não acontecesse. A rede do local, feita de tubos de PEAD (Polietileno de Alta Densidade), é de 1998 e começou a apresentar fadiga no ano passado.

Teoricamente, o material tem durabilidade de 100 anos. A conclusão da autarquia é de que o problema está na fabricação da rede, que vai da Rua Julio Prestes até a Rua Camilo Castelo Branco.

“Não podemos diminuir a pressão, aliviar o trabalho da rede, senão desabastece. Como ela tem apresentado com frequência esses defeitos de fabricação, infelizmente podem ocorrer outras vezes até a gente conseguir trocar. Quando a gente realiza um reparo, sempre faz dentro das boas práticas e das técnicas adequadas, mas do restante nós temos que rezar para que não aconteça mais”, comentou Zappia, no início do mês.

Portanto, a solução encontrada pela autarquia é trocar os 1.110 metros de rede de água da avenida. O pregão presencial para contratação da empresa que realizará o serviço ocorreu nesta terça, com a entrega dos documentos. A abertura dos envelopes com as propostas ainda não aconteceu. A expectativa é que a vencedora comece os trabalhos até o final de abril.