Soma deve reconsiderar abertura de novas vagas

Comoção após anúncio de que processo seletivo não seria realizado influenciou; decisão será tomada até quarta-feira


Foto: Luiza Cazetta / O Liberal
Decisão de não abrir as vagas foi tomada por causa da baixa demanda por contratações e a dificuldade em encontrar oportunidade de trabalho para os alunos

Após anunciar que não abriria novas vagas em 2019 pela primeira vez em 57 anos, a direção do Soma (Serviço de Orientação Multidisciplinar para Adolescentes de Americana) deve definir até a próxima quarta-feira se fará o processo seletivo. A repercussão entre alunos, ex-alunos e da comunidade em geral após o anúncio, em novembro do ano passado, teria feito com que a entidade reconsiderasse.

A decisão de não abrir as vagas foi tomada por causa da baixa demanda por contratações e a dificuldade em encontrar oportunidade de trabalho para os alunos da instituição. Anualmente, mais de mil jovens se inscrevem no processo classificatório para tentar uma das 210 novas vagas oferecidas.

Apesar de reforçar que o tema será discutido durante a semana que vem com toda a diretoria, a coordenadora geral e pedagógica do Soma, Maria Aparecida Pirassoli Brás, se diz otimista com a possibilidade. Uma decisão deve ser tomada até quarta-feira.

“O Soma não vai fechar, jamais. A nossa intenção era não fazer inscrição (em 2019) por conta da baixa demanda de contratação de adolescentes pelas empresas e aí sim, no ano que vem, a gente faria a inscrição normalmente. Nós estamos retornando essa semana e a gente está sentindo que não vai dar para a gente pular esse ano. Talvez o prejuízo seja muito grande, muito drástico para a população de Americana”, afirmou Maria.

Desde o final de 2017, o Soma é qualificado para fornecer jovens aprendizes ao mercado de trabalho. Os estudantes entram na entidade com 15 anos e, ao longo do primeiro ano, participam de um programa preparatório antes de serem encaminhados.

VERBA. O deputado federal Vanderlei Macris (PSDB) divulgou nessa sexta-feira que uma emenda parlamentar de sua autoria garantiu R$ 100 mil para a Soma e R$ 200 mil para a Aequotam. O parlamentar afirmou que o recurso foi pago no final de dezembro à prefeitura, que fará o repasse. A secretaria de Ação Social disse que não foi notificada pelo banco, mas verificou pela página do Ministério do Desenvolvimento Social que o crédito foi feito.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora