Enfermeira cria Instagram para ensinar primeiros socorros

Enfermeira Bruna Busnardo usa perfil em rede social para levar orientações sobre procedimentos que podem salvar vidas


Há dois anos, a enfermeira e socorrista Bruna Busnardo vem ajudando as pessoas a enfrentar situações de emergência com vídeos onde dá dicas e ensina procedimentos de primeiros socorros. Os conteúdos são postados na página Mamãe Socorrista (@mamaesocorrista), criada por ela no Instagram com o objetivo de repassar e multiplicar conhecimentos capazes de salvar vidas.

Bruna sempre foi enfermeira e trabalha há sete anos como socorrista do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), em Sumaré. Antes, passou pelos prontos-socorros dos bairros Antonio Zanaga e Parque Gramado, em Americana. Devido à sua formação, ela conta que a família e os amigos sempre a procuravam querendo saber o que fazer diante de uma emergência. Para explicar o procedimento, a socorrista enviava vídeos. “Não gosto de falar porque a pessoa pode interpretar de outra forma”, explica.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Bruna é mãe de duas meninas (Eduarda e Isabela): daí vem o nome da página mantida por ela no Instagram

A ideia de postar os vídeos foi de uma amiga. Lá se vão dois anos compartilhando com os seguidores a forma correta de lidar com emergências. Embora o nome da página seja Mamãe Socorrista, seus vídeos abordam diversas situações. “São vídeos de todo tipo. Para gestantes, mães de primeira viagem, adultos, idosos. São vídeos rápidos, em torno de um minuto, onde procuro ser bem objetiva”.

Bruna é mãe de duas meninas (Eduarda e Isabela), daí o nome Mamãe Socorrista. Ela conta que a iniciativa de fazer os vídeos é movida pelo interesse em conscientizar as pessoas e mostrar que, ao adotar o procedimento correto, é possível evitar que uma situação de emergência evolua para um fim trágico.

A enfermeira destaca que a Manobra de Heimlich, por exemplo, consegue o desengasgo em 90% das situações; a massagem cardíaca para os casos de infarto aumenta em 70% as chances de sobrevida até o socorro chegar, identificar os sinais de AVC; e levar a vítima ao hospital o mais rápido possível diminui as chances de uma sequela. “Quero que as pessoas vejam que prestar os primeiros socorros não é difícil como pensam e que elas são capazes”, destaca.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
“Quero que as pessoas vejam que prestar os primeiros socorros não é difícil como pensam e que elas são capazes”

Segundo Bruna, todas as situações e dicas mostradas nos vídeos são amparadas por evidências comprovadas de sucesso e são detalhadas de forma a serem compreendidas pelos leigos. “Faço os vídeos pensando no que as pessoas comuns são capazes de fazer, não faço para profissionais. Faço para que qualquer pessoa entenda e aprenda”, diz.

Segundo a socorrista, em geral as pessoas têm medo de agir em situações de emergência. “Comprovadamente, elas deixam de fazer por medo e infelizmente muitas pessoas morrem porque não foram socorridas por quem estava perto. Procuro com os vídeos encorajá-las a agir. É melhor fazer do jeito quase certo e ajudar na sobrevida do que não fazer”, completa.

Se você conhece uma boa história que todo mundo merece saber, conte para a gente! Ela pode virar uma reportagem no LIBERAL. Escreva para redacao@liberal.com.br ou envie mensagem para o WhatsApp do LIBERAL, no (19) 99271-2364.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora