Servente que tentou matar a ex-namorada em Americana é condenado

Siderlei Bugari da Silva havia deixado a prisão e foi à procura da ex-namorada, descobrindo que ela estava em um novo relacionamento amoroso


O Tribunal do Juri de Americana condenou, na última terça-feira, o servente Siderlei Bugari da Silva, de 38 anos, a quatro anos e oito meses de prisão por ter tentado matar a sua ex-namorada, Amanda Souza, em agosto de 2016, no Parque Gramado.

A sentença, do juiz Gerdinaldo Quichaba Costa, enquadra o réu por tentativa de homicídio qualificado, por motivo torpe (que ofende a ética social, de grau altamente reprovável pela sociedade). Como a decisão foi em primeira instância, ainda cabe recurso.

Por ter antecedentes criminais por roubo, Siderlei teve a pena aumentada e um sexto. A determinação é para que o cumprimento seja em regime fechado, embora ele possa recorrer da sentença em liberdade, pois não foram preenchidos os pré requisitos que justificassem a prisão preventiva.

O crime aconteceu na manhã do dia 11 de agosto de 2016, no Parque Gramado. Na época, o réu havia deixado a prisão e foi à procura da ex-namorada na casa dela, mas encontrou por lá apenas a irmã e o então namorado, com quem trocou agressões.

No dia seguinte, voltou ao imóvel, munido de uma arma de fogo, e realizou dois disparos em direção à vítima, que não foi atingida pois se abrigou atrás de um automóvel. Dois disparos atingiram o veículo e o outro o chão da garagem.

Na denúncia, o Ministério Público disse que o denunciado agiu por motivo fútil, pois atentou contra a vida de sua ex-namorada “unicamente por ter descoberto que esta mantinha novo relacionamento com outra pessoa”.

A reportagem tentou contato com o advogado responsável pela defesa de Siderlei para saber se recorreria da decisão, mas as ligações para o telefone dele que consta no CNA (Cadastro Nacional dos Advogados) não foram atendidas.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora