11 de julho de 2020 Atualizado 19:52

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Área Azul

Se existir acordo, multa será cancelada, diz Omar

Prefeito afirma que vai se inteirar melhor do assunto para checar se houve erro da administração

Por George Aravanis

24 ago 2019 às 09:32 • Última atualização 24 ago 2019 às 09:33

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal.JPG
Movimentação em torno de parquímetro da Área Azul na Praça Francisco Matarazzo

O prefeito de Americana, Omar Najar (MDB), disse ontem que, se houve de fato um acordo para não multar provisoriamente nos 30 minutos iniciais de estacionamento na Área Azul, a prefeitura vai respeitá-lo e cancelar eventuais autuações que tenham sido aplicadas. Omar, porém, ainda vai conversar com seus secretários para entender se houve ou não erro da administração.

“Ele [motorista] pode recorrer, e se foi realmente acertado isso será devolvido, será cancelada a multa”, afirmou o prefeito, durante entrega de reforma em uma quadra no Jardim dos Lírios.

Como mostrou o LIBERAL nesta semana, a prefeitura está descumprindo a isenção que havia se comprometido a oferecer.

Em junho, em reunião no Ministério Público, que investiga vários pontos ligados à Área Azul, o secretário de Negócios Jurídicos, Alex Niuri, havia afirmado que a prefeitura não multaria quem estacionasse por no máximo meia hora até que todas as novas regras do sistema fossem regulamentadas por decreto.

O objetivo era evitar dúvidas sobre o que é tolerância (o tempo que o motorista tem para fazer seu pagamento) e o que é gratuidade (estacionar sem pagar e ir embora), uma das principais polêmicas do sistema.

A autoridade de Trânsito, Eraldo Camargo, que acompanhava a reunião, confirmou ao LIBERAL, ao final do encontro, que a medida seria respeitada.

A reportagem acompanhou a reunião de junho e gravou o encontro. Naquele momento, ficou claro que se tratava de 30 minutos de isenção, e não de uma tolerância maior (a atual é de 20 minutos) para que a pessoa fosse até o parquímetro.

SEM ISENÇÃO. Apesar disso, na semana passada a autoridade de Trânsito, Eraldo Camargo, disse que não existe a isenção. Os 30 minutos, segundo ele, são apenas o prazo para que a pessoa pague por sua estadia.

Para ter acesso à gratuidade, é preciso retirar um cartão na Estapar e inseri-lo no parquímetro toda vez que estacionar – são 15 minutos grátis pela manhã e 15 durante a tarde. O uso desse cartão, porém, é justamente um dos pontos que ainda não está regulamentado.

“Nós vamos ver melhor isso e vamos analisar. Se foi acertado que seria sim esses 30 minutos, nós vamos fazer valer o que foi conversado. Agora se não tem, existe alguma dúvida com relação a isso, eu vou chamar o secretário de Trânsito e conversar com ele o que que foi acertado”, comentou Omar.

O LIBERAL já divulgou casos de pessoas que foram multadas e que afirmam ter ficado menos de 30 minutos na vaga.