Saúde Já deve disponibilizar 2,5 mil consultas por mês

Prefeitura de Americana anunciou que comprou mais de 30 mil consultas com médicos particulares para atender à população


Com a assinatura de mais nove contratos para o programa Saúde Já, em Americana, a prefeitura estima disponibilizar 2,5 mil consultas por mês para a população com médicos especialistas. Ainda não há data para que os atendimentos comecem. Agora, a prefeitura vai acessar a agenda dos médicos que assinaram acordos e encaixar os horários.

Nos últimos cinco dias, a administração comprou 30.480 consultas que serão disponibilizadas durante um ano, em onze contratos. Cada atendimento custará R$ 52 à prefeitura e o gasto total previsto é de R$ 1,5 milhão.

O número é suficiente para zerar a fila de espera, na avaliação do secretário de Saúde, Gleberson Miano. São especialidades como cardiologia, dermatologia, neurologia, oftalmologia, urologia, ortopedia e psiquiatria.

Foto: Marília Pierre / Prefeitura de Americana
assinatura saúde já

Segundo o secretário de Saúde, Gleberson Miano, além de zerar toda a fila de espera, o número é suficiente para atender a nova demanda. A quantidade de consultas represadas na cidade gira em torno de 40 mil, diz Miano – em algumas especialidades, a espera chega a dois anos.

Só que, de acordo com o secretário, muitas pessoas já receberam atendimento de outras formas. Por isso, o número real da fila, estima, é 40% menor, algo em torno de 24 mil pessoas. “A gente só vai saber de verdade na hora que começar a chamar”, afirma Miano.

De acordo com o secretário, hoje a cardiologia é uma das prioridades, porque é um entrave a pacientes que precisam de atendimento a outras áreas. “Por exemplo, eu não posso fazer cirurgia de catarata ou cirurgia ortopédica sem uma avaliação cardiológica pré-cirúrgica.”

Os primeiros acordos do Saúde Já foram assinados na sexta, um ano após o programa ser anunciado – a ideia foi proposta pelo vereador Rafael Macris (PSDB), líder do governo Omar na Câmara. Antes, foi preciso vencer resistência de médicos, que temiam não receber – o prefeito Omar Najar (MDB) gravou até um vídeo convidando profissionais da cidade a participar.

A prefeitura anunciou que os contratos de ontem foram assinados com o Hospital São Francisco, com as empresas Clínica Médica Otorrino Fono Ltda, Alves Serviços Médicos LTDA e com os médicos Gustavo Leme Franco de Andrade, Rosângela Gallardo Caro de Moraes e Wagner Françoso – alguns profissionais ou empresas assinaram contratos para atender mais de uma especialidade, por isso são seis empresas/médicos
e nove contratos.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!