Rossandro Klinjey: ‘Hierarquia familiar é importante para a criança’

Psicólogo e escritor, cujos vídeos já superaram a marca de 120 milhões de visualizações, estará em Americana para uma palestra no próximo dia 30


Acreditando que poderia fazer algo melhor para seus filhos, uma geração de pais flexibilizou a educação e deixou de se preocupar tanto com a disciplina e imposição de limites. Para o psicólogo e escritor Rossandro Klinjey isso foi um erro. Ele defende que criança precisa saber quem manda e quanto mais cedo aprender isso melhor.

“A hierarquia familiar é importante para a construção da identidade da criança”, afirma Klinjey, que também é palestrante e mestre em saúde coletiva. Fenômeno nas redes sociais, seus vídeos já superaram a marca de 120 milhões de visualizações, abordando temas como educação, família e comportamento.

Foto: Divulgação
Rossandro defende que a criança precisa saber quem manda e aprender isso cedo

Ele atendeu em seu consultório por 20 anos e foi professor universitário por 12, quando passou a se dedicar à atividade de palestrante, no Brasil, Europa, Estados Unidos e Ásia. No próximo dia 30, Rossandro estará em Americana para a palestra “Limites na Educação: Uma prova de amor”, a convite do Colégio Antares. A palestra acontece no Teatro Municipal Lulu Benencase, às 19h30. Os ingressos estão à venda nas unidades do Antares a R$ 80 e R$ 40 (meia-entrada).

O LIBERAL conversou com ele sobre o que mudou na relação entre pais e filhos nas últimas décadas e sobre outros assuntos que ele aborda em seus vídeos, como autossabotagem e a busca pelo sucesso.

O que mudou na educação dos filhos nos últimos anos?

ROSSANDRO
De 30 anos para cá uma geração de pais começou a fazer um retrospecto da sua própria infância – muitas vezes pobre e com privações – e acreditou que poderia fazer algo melhor para seus filhos. Em contrapartida, deixou de se preocupar com ações como disciplina e respeito.

E qual resultado disso?

ROSSANDRO
Ao perder isso perdemos os fundamentos da formatação do ego, ou seja, da construção da identidade do ser humano. A hierarquia familiar é importante para a construção da identidade da criança, ou seja, ela precisa saber que tem alguém que manda, que ordene, que discipline.

Quando isso não é dado para a criança ela se vê obrigada ela mesma a fazer isso, mas sem maturidade nenhuma para isso. Qual o resultado disso em comparação com o passado? Criamos a geração mais suicida e mais drogada de toda a história humana. Ou seja, não deu certo. E quando digo isso, não estou acusando os pais. Eles não precisam se sentir culpados. É só corrigir enquanto há tempo para reconfigurar a ordem da casa e restabelecer o equilíbrio.

Então é possível corrigir?

ROSSANDRO 
Quanto mais tarde, mais difícil fica. A criança desde cedo está apta para aprender tudo e quanto mais cedo você aprende mais aqueles esquemas ficam fixos na cabeça. Tem muito pai que diz “mas é tão novinha para disciplinar’, mas na verdade tem que ser mesmo desde cedo. Quanto mais eu demoro, mais difícil fica e depois só a vida, com muita dor, pode em alguns casos resgatar.

Ainda em relação à educação, o que mais mudou?

ROSSANDRO 
Houve também, até por conta da competição global, uma preocupação intensa em desenvolver as habilidades cognitivas, isso é bem-vindo mas não pode ser feito desconsiderando as competências emocionais.

O foco foi tão grande nos resultados acadêmicos que deixou para trás o desenvolvimento das competências emocionais e aí surgiram pessoas que são amplamente capazes, mas emocionalmente fragilizadas que se matam porque não suportam a pressão de uma residência médica, por exemplo. Essa fragilidade emocional é fruto de uma educação que não teve competência.

Mudando um pouco de assunto, você também enfoca bastante a questão da autossabotagem. Fale um pouco sobre isso…

ROSSANDRO
Autossabotagem é um movimento consciente ou inconsciente no qual um lado quer dar certo, mas outro vai contra. Você vai para a academia, mas começa a comer mais; você sabe que precisa estudar para passar num concurso, mas não sai do Instagram. Então quem está mandando em você? Seu lado consciente que quer dar certo e ter sucesso ou o inconsciente que está sabotando o seu projeto.

Primeiro tem que identificar a origem disso e não ficar se culpando. Comportamento leva tempo para mudar, mas do mesmo jeito que construímos um comportamento equivocado podemos construir um comportamento saudável. Só que isso que exige esforço. É preciso abrir mão de pequenos prazeres para conquistar aquilo que se quer. É uma negociação interna em que você abre mão de algumas coisas para ter muito mais.

Além da autossabotagem, o que mais atrapalha as pessoas na hora de alcançar seus objetivos?

ROSSANDRO 
Outra coisa é a baixa autoestima. Tem gente que nem é tão boa assim, mas acredita tanto em si mesmo que consegue o sucesso que outra mais capaz não alcança. Com certeza você deve conhecer alguém assim. Há pessoas que são tão convencidas de que são capazes que conseguem convencer o mundo. Amor próprio significa eu comigo mesmo, do jeito que eu sou e não como gostaria de ser.

Eu na minha versão original e não imaginária. Eu com defeito, vacilações e medo. E sucesso é uma construção diária. Não existe nenhuma possibilidade de você conquistar seus objetivos sem que você faça um tijolo por dia. As pessoas querem passar dias e dias sem fazer nada e depois construir um muro inteiro. Aí ele cai. Tem que planejar. A vida é assim. Tem um percurso a ser percorrido. A gente é que tem fantasias de ganhar na Mega-Sena, encontrar o príncipe ou princesa encantada, de ser visto como alguém fabuloso….

O problema é que as pessoas buscam o sucesso imediato…

ROSSANDRO
Elas não querem pagar o preço. Não querem construir as carreiras. As pessoas querem ir muito rápido, esquecem que tem um processo por trás. Existe um processo, você precisa respeitar isso e fazer sua parte. Não existe mágica.

Então o segredo do sucesso está em cada pessoa?

ROSSANDRO 
O segredo é ser feliz no que se faz. É errado pensar que para ter sucesso é preciso ter visibilidade. Eu posso me sentir uma pessoa com sucesso sem que ninguém me reconheça. Se você é feliz fazendo o que faz, sente o sucesso.

A família também tem participação nesse processo?

ROSSANDRO 
Sim. Em qualquer situação é preciso ter referência familiar, caso contrário você se perde. O importante são as pessoas que você ama e que amam você, que estão ao seu lado desde antes. Se você perde o contato com essa realidade, você se destrói.

Como manter essa conexão nos dias de hoje?

ROSSANDRO 
Lembrar que essa é sempre a primeira opção. Quando tudo dá errado, quem fica com você? Quem cuida de você? Quem não sabe de onde veio, não sabe para onde vai. E árvore que não tem raiz, tomba. A copa é proporcional à raiz e não o contrário.

Então todas as pessoas que se desconectam do que é essencial se perdem. E família é essencial. Para manter essa conexão temos que criar rituais. Se encontrar mais, desligar o celular e conversar. É preciso fazer uma escolha. E a escolha tem que ser por ficar juntos.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora