29 de setembro de 2020 Atualizado 17:16

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Americana

Restrições impostas pela pandemia modificam atividades no setor público

Home office e atendimento via internet ganharam espaço na pandemia

Por Rodrigo Alonso

09 ago 2020 às 08:04 • Última atualização 09 ago 2020 às 09:30

Com as restrições forçadas pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), as diferentes esferas do poder público precisaram se reinventar, assim como os servidores que prestam serviço para a população. O home office e o atendimento online ganharam espaço nestes quase cinco meses e introduziram uma nova rotina de trabalho.

Na Câmara de Americana, as atividades presenciais voltaram no último dia 27. No entanto, aqueles que precisam cuidar de crianças de até 12 anos ainda podem ficar em casa às terças e sextas, mediante requisição por escrito e autorização da presidência, mas devem compensar as horas quando estiverem presencialmente no Legislativo.

Secretária-geral da câmara, Juliana Nandin: atenção ao trabalho e aos filhos no modelo home office – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Esse é o caso da secretária-geral Juliana Nandin, de 42 anos. Nesses dias de home office, ela se divide entre as atividades profissionais e o cuidado com os dois filhos, de 2 e 5 anos.

“Eles não entendem por que eu fico tanto tempo no celular, por que eu fico tanto tempo em frente ao computador. A minha filha até perguntou se eu gosto mais do computador do que dela”, conta.

O presidente da câmara, Luiz da Rodaben (Cidadania), avalia que o ideal seria todos os trabalhadores, do setor público e privado, comparecerem no local de serviço.

“No meu ponto de vista, nós vamos ter de conviver com a Covid enquanto não tenhamos uma vacina. E não dá para ficarmos parados enquanto não chega essa vacina. Então acho que, com segurança, com máscara, com álcool em gel, nós temos de voltar e voltar a produzir”, afirma o vereador.

Na Prefeitura de Americana, o home office só foi liberado para departamentos que não atendem o público, mas praticamente todos já voltaram ao trabalho presencial ou estão em fase de retorno, de acordo com a administração. Não há estudos no momento que indiquem eventual economia com o modelo, ainda segundo a prefeitura.

O prédio do Poupatempo, que também abriga a unidade do Detran.SP, permanece fechado. No entanto, os órgãos contam com pelo menos 70 serviços online, que representam cerca de 60% das atividades realizadas presencialmente. Pela internet, o cidadão só não tem acesso a serviços que necessitam de coleta biométrica.

No INSS, além do atendimento remoto pela internet e por telefone, também há a Exigência Expressa, um serviço em que as pessoas podem colocar na urna da agência um envelope com documentos exigidos pelo órgão para dar prosseguimento à análise dos pedidos.

Produtividade
A efetividade do Poder Judiciário aumentou em quase cinco meses em que os juízes e os servidores permaneceram em home office. A avaliação é feita pelo juiz Marcos Cosme Porto, diretor do Fórum de Americana. Os profissionais voltam a trabalhar presencialmente amanhã.

Entre 16 de março e 26 de julho, a Justiça paulista produziu 10,6 milhões atos processuais, conforme dados divulgados pelo TJ-SP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo). Tal número “jamais” seria alcançado com trabalho presencial, de acordo com Porto. “O grau de eficiência do trabalho do serviço público de jurisdição está sendo muito maior do que era antes. Os números são impressionantes”, diz.

Profissionais voltam ao Fórum amanhã – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Segundo ele, com o home office, os juízes não perdem tempo com trânsito e com abordagem de advogados no Fórum, por exemplo. “O dia a dia do juiz e dos funcionários está sendo trabalhar o dia inteiro. Não tem outra opção”, afirma.

O juiz também cita a economia gerada pelo trabalho remoto. Os gastos médios mensais com água, energia e telefone, que eram de R$ 15,6 mil antes da pandemia, diminuíram para R$ 5.960 – redução de 61%.

Porto aponta que, por outro lado, existem desvantagens. Uma delas é a redução de audiências na esfera civil. E, além disso, os processos físicos estão parados. O TJ-SP iniciou no último dia 27 a retomada gradual do atendimento presencial nas unidades judiciais do Estado. Mas na região de Campinas, o que inclui a RPT (Região do Polo Têxtil), o home office continua até este domingo.

Porto observa que, nesta primeira semana de retomada, haverá apenas trabalhos internos, com portas fechadas para o público. Os fóruns serão abertos na semana seguinte, com somente 20% de seus juízes e funcionários. “A preocupação maior é a saúde e a segurança de todos que atuam dentro do Fórum de Americana”.

Publicidade