06 de junho de 2020 Atualizado 16:03

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Covid-19

Rede terá 200 testes rápidos até o dia 15 de abril

Prefeitura já negocia compra de outros três mil; 1º lote teve custo de R$ 16 mil e vai ajudar diante da demora por resultados do Instituto Adolfo Lutz

Por Marina Zanaki

04 abr 2020 às 07:44 • Última atualização 04 abr 2020 às 12:31

O Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi comprou 200 testes rápidos para identificação do novo coronavírus (Covid-19). Segundo a prefeitura, eles devem chegar entre o dia 10 e 15 de abril e custaram R$ 16 mil. A compra de outras três mil unidades está em negociação.

Os testes são realizados por meio de amostra de sangue e levam 20 minutos para ficarem prontos. A medida foi adotada pela prefeitura diante da demora dos resultados de exames enviados para o Instituto Adolfo Lutz.

Americana tem 38 casos suspeitos da doença, e a notificação mais antiga aguardando resultado é do dia 14 de março.

Clique aqui e se inscreva no nosso canal do Telegram e receba as notícias no seu celular!

Além disso, por orientação do Estado, tem colhido sangue e notificado como suspeito apenas pacientes internados e profissionais de saúde.

Americana tem três casos confirmados e uma morte provocada pela doença. Questionada se é possível que o vírus já esteja circulando na cidade de maneira mais intensa do que as notificações positivas apontam, a prefeitura reconheceu que isso pode ser possível, mas não há como confirmar sem ter uma análise laboratorial sobre o caso.

Saiba tudo sobre o coronavírus, o que ele provoca e como se prevenir

“Vale ressaltar que o estado de São Paulo vivencia uma transmissão comunitária, o que significa dizer que em qualquer município o vírus esteja em circulação”, explicou.

“A pouca oferta de testes e a alta demanda de análises no laboratório refletem na dinâmica da transmissão. Essa é uma realidade nacional e não apenas local. Por isso a necessidade em se manter o isolamento social, visto que muitos indivíduos podem ser assintomáticos”, destacou a prefeitura.

RAPIDEZ

Assessora científica da Eco Diagnóstica, uma empresa mineira que produz testes rápidos de coronavírus, Mirela Gasparini indicou que, em laboratórios particulares, os exames podem custar cerca de R$ 200. A matéria-prima do exame é importada da Coreia do Sul.

“O teste rápido permite fazer o manejo rápido do paciente, se estiver positivo isolar inclusive de casos suspeitos”, destacou.

No Estado de São Paulo, 16 mil amostram aguardam resultado para coronavírus. Esta semana, o governo anunciou a compra de 20 mil kits de testes importados para ampliar a testagem da doença.

Além da Capa, o podcast do LIBERAL

Ao redor do mundo, diversos segmentos têm sido impactados pelos reflexos da pandemia do novo coronavírus. Entre eles, o mercado imobiliário, principalmente pela relação entre locatários e inquilinos, além da própria compra e venda de imóveis. Os direitos de quem está envolvido nesse campo pautam a edição deste sábado do Além da Capa.

{{1}}