22 de setembro de 2020 Atualizado 22:52

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Rachaduras assustam moradores do Jardim Brasil

Fissuras apareceram após problema com encanamento na rua, dizem vizinhos

Por George Aravanis

11 jan 2020 às 08:31 • Última atualização 11 jan 2020 às 16:55

Rachaduras em casas da Rua Thomaz Panaro, no Jardim Brasil, em Americana, têm assustado moradores. Eles temem que as fissuras avancem e comprometam mais a estrutura das residências. Além das fendas nos muros e pisos das garagens, a calçada tem afundado, o que provocou até um desnível entre o muro e a estrutura metálica que suporta as telhas de uma das residências.

As rachaduras foram constatadas pelo LIBERAL em duas casas. É possível colocar um dedo em parte da fenda. Os moradores dizem que o problema atinge até mais quatro moradias na rua.

Eles pediram ao DAE que tome providências, mas afirmam que o órgão já respondeu que não vai resolver o problema.

Foto: João Carlos Nascimento / O LIBERAL_7.1.2020
Rachadura em muro apontada pelo aposentado Antônio Constante Furlan na Rua Thomaz Panaro, na última terça-feira

Tudo começou em 2016. Segundo o aposentado Antônio Constante Furlan, de 71 anos, naquele ano, quando a empresa Comgás passava o encanamento de gás pela rua, a tubulação de esgoto foi atingida e houve um vazamento.

Um grande buraco tomou parte da rua. Cerca de nove meses depois, afirma o aposentado, começaram a surgir as rachaduras, que em 2019 se intensificaram. Moradores acreditam que a infiltração causada pelo problema com o esgoto foi a causa das fendas nos muros e nos pisos.

Antônio e sua vizinha, Aparecida de Fátima Rodrigues da Silva, de 62 anos, dizem que os reparos necessários ficariam em torno de R$ 6 mil. Segundo eles, um ano depois de ser avisado sobre as brechas nas casas, o DAE respondeu que não iria providenciar os reparos. Eles estudam entrar na Justiça para garantir o pagamento. “A rachadura do piso está entrando na parede da sala”, conta Fátima.

Antônio teme o perigo que a situação pode provocar. “Entre minha casa e a da vizinha, tem o muro e a estrutura metálica que apoia a telha, ali já abaixou uns 10 centímetros. O muro está afundando”.

A Comgás enviou uma equipe ao local na quarta-feira, após ser procurada pelo LIBERAL. A assessoria de imprensa da empresa informou que investigará o caso e, se houver irregularidade por parte da empresa, adotará as providências necessárias. O DAE informou que vai aguardar o laudo da Comgás para se manifestar.

Publicidade