19 de maio de 2022 Atualizado 23:46

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Educação ambiental

Projeto Horta da Lelê completa três anos com mais de 9 mil crianças atendidas

O projeto leva para a escolas propostas teóricas e práticas sobre educação ambiental

Por Paula Nacasaki

10 Dezembro 2020, às 09h58 • Última atualização 10 Dezembro 2020, às 12h54

O projeto Horta da Lelê completa três anos de existência e chega a marca de 9,5 mil crianças atendidas nesta quarta-feira (10). A iniciativa, idealizada pelo paisagista de Americana Fagner Aurélio Zanetti, visita escolas de diversos municípios para levar propostas teóricas e práticas sobre educação ambiental.

Uma das ações realizadas é ensinar os pequenos a criarem hortas a partir de garrafas PET e outros resíduos.

O paisagista Fagner Aurélio Zanetti e sua filha, Lelê – Foto: Ernesto Rodrigues / O Liberal

Por conta da pandemia, neste ano foi necessário adaptações para que a Horta da Lelê continuasse atuante. Como as aulas presenciais estão suspensas, Fagner, que também é professor de jardinagem, investiu nas lives.

Para ele, a internet possibilita uma ampliação do projeto educacional e uma das propostas para os próximos anos é agregar esta tecnologia para levar a Horta da Lelê para além das fronteiras brasileiras, como ocorreu recentemente em uma transmissão feita para Portugal.

“Eu não esperava que fosse chegar a tantas crianças atendidas. No começo foi muito difícil, mas agora as escolas estão chamando mais”, relata o professor.

O projeto começou em 2017 quando a sua filha, a Lelê, na época com cinco anos, lhe trouxe uma garrafa PET para reciclar. De lá para cá foram diversas ações de sustentabilidade, como formação de hortas, palestras e aulas.

Projeto Horta da Lelê também virou um livro – Foto: Ernesto Rodrigues / O Liberal

Pai e filha continuam caminhando juntos no processo de educação ambiental e a Horta da Lelê já virou livro, lançado em 2017 pela Editora Adonis.

“Ela vai nas palestras comigo, passa para crianças e o legal é que tudo começou por ela. A gente recebe ligações de mães agradecendo pela mudança dos filhos, não tem preço que pague”, conclui o paisagista.

Com a pandemia e as visitas às escolas suspensas, o paisagista está disponibilizando aulas particulares em seu espaço, na Rua Ibitinga, 1374, no Parque Novo Mundo, Americana. O telefone para mais informações é o (19) 98198-3837.

Publicidade