Prevista para julho, alça em viaduto agora não tem prazo

Obra de nova ligação do Viaduto João Romano, em Americana, foi reprogramada, segundo prefeitura


O término da alça do Viaduto João Romano, em Americana. previsto para este mês, agora não tem prazo para acontecer. A prefeitura alega atraso nas obras em função de chuvas “não previstas”. Em nota, a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos informou que a previsão de término está sendo reprogramada, mas diz que não há nova data.

A conclusão do serviço em julho foi anunciada em outubro do ano passado, mas desde então a obra avançou pouco. Foram feitos o nivelamento e compactação do solo no trecho prolongado da Avenida Bandeirantes e a colocação de guias e sarjetas. Ainda não há sinais da alça que ligará a Bandeirantes ao viaduto.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Continuação de alça do Viaduto João Romano ligará Avenida Bandeirantes e Avenida Abdo Najar, em Americana

A Secretaria de Obras alega também dificuldades com o tipo de solo encontrado após as sondagens, mas não detalhou quais e nem o impacto da descoberta na execução do projeto. A obra teve início há mais de um ano pelo prolongamento da Avenida Bandeirantes, a partir do campo do Torino. Dali até a alça do Viaduto João Romano são aproximadamente mil metros.

O viaduto une as avenidas Abdo Najar e Bandeirantes, e a expectativa é de que o término de uma das suas alças melhore o trânsito naquela região. Sua construção teve início na gestão do ex-prefeito Carrol Meneghel e nunca foi concluída.

Desde a inauguração do viaduto há 22 anos, na gestão de Frederico Polo Muller, duas alças de acesso permaneciam inacabadas. A prefeitura retomou a construção da alça da direita no sentido Colina/Avenida Abdo Najar.

Ela atenderá o motorista que vem pela Avenida Bandeirantes e quer chegar até a Avenida Abdo Najar, um dos principais acessos à região dos bairros Nova Americana e Cidade Jardim. Com a obra que vem sendo feito pela prefeitura, ao passar sob o Viaduto Amadeu Elias o motorista seguirá reto.

A ideia é que a medida alivie o trânsito também no sentido contrário. Nos horários de pico, o tráfego intenso complica para quem sai do viaduto e quer alcançar a região da Colina.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora