18 de maio de 2022 Atualizado 12:10

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Feminicídio

Preso, homem que matou ex-mulher na frente do filho se escondia em Americana

Crime aconteceu em julho, no Capão Redondo; Thaís Alves da Silva foi morta com 12 facadas pelo ex-companheiro, preso na manhã de hoje em Americana

Por

04 Setembro 2020, às 08h09 • Última atualização 04 Setembro 2020, às 13h55

A DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Americana prendeu, na madrugada desta sexta-feira (4), Odair Elias Lima de Jesus, de 46 anos. Ele é suspeito de ter matado sua ex-companheira, Thaís Alves da Silva, na frente do filho, no Capão Redondo, na capital paulista.

O crime aconteceu no dia 18 de julho e foi presenciado por um dos três filhos do casal, de 6 anos. A criança viu a mãe ser morta com 12 facadas. Depois disso, o homem fugiu e passou a se esconder em Americana, por possuir parentes na cidade.

Ele foi levado até a sede da DIG com a sua atual companheira, que teria desacatado os agentes.

Prisão do suspeito foi realizada pela DIG de Americana na manhã desta sexta-feira – Foto: DIG de Americana / Divulgação

A Justiça expediu um mandato de prisão preventiva contra ele, mas o homem não havia sido encontrado até a madrugada desta sexta, quando policiais da DIG o detiveram no Vale das Nogueiras, em Americana.

Segundo a corporação, ele estava vivendo há cerca de dois meses na cidade, em uma casa alugada. Ele teria contado com a ajuda de familiares para se manter escondido.

“A partir da informação da possibilidade de ele estar aqui na cidade foram desenvolvidas investigações e diligências pelas equipes operacionais da DIG. Essas diligências acabaram por encontrar o paradeiro desse autor de feminicídio na manhã de hoje”, disse o agente da DIG, Emerson Siqueira.

Denunciado
Odair Elias Lima de Jesus foi denunciado pelo MP (Ministério Público) pelo feminicídio da ex-companheira. Segundo a denúncia, o casal manteve uma relação estável por 13 anos e tiveram três filhos, de 6, 9 e 13 anos de idade.

Em janeiro deste ano, Thaís resolveu se separar e procurou a DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) dizendo que já tinha sido agredida várias vezes pelo ex, com socos, pontapés e puxões de cabelo, inclusive na frente dos filhos.

Thaís Alves da Silva foi morta com 12 facadas pelo ex-companheiro – Foto: Reprodução

A mulher afirmou que, ao dizer que queria se separar, Odair a ameaçou de morte. Por isso, a Justiça concedeu uma medida protetiva impedindo o ex de se aproximar dela e manter contato por qualquer meio de comunicação.

Ele só podia se aproximar para ver os filhos. No dia anterior ao crime, de acordo com a denúncia, o homem foi até a casa para pegar um dos filhos, conforme combinado, e foi embora.

Thaís, depois disso, resolveu sair com umas amigas. Durante a noite, recebeu uma ligação do ex, ordenando que ela voltasse para casa. O homem teria dito que o filho estava passando mal e precisava dela.

A mulher retornou para sua casa para cuidar do filho, que havia sido devolvido por Odair. Durante a madrugada do dia 18, o ex foi até a residência, arrombou o portão e a porta e deu 12 facadas em Thaís, diz o MP.

O filho menor, de seis anos, presenciou o crime e tentou evitá-lo. Outras duas mulheres que também moravam no mesmo imóvel também presenciaram o feminicídio. Thaís foi socorrida, mas não resistiu.

Publicidade