Prefeitura diz que análise do plano de carreira não tem prazo

Levantamento do impacto nas finanças é fundamental para sequência de proposta para os servidores municipais


A Prefeitura de Americana não tem previsão para concluir o levantamento do impacto financeiro que será provocado pelo Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos servidores municipais. Uma proposta de plano foi entregue ao Executivo pelo SSPMA (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Americana) na última segunda-feira.

Foto: Marcelo Rocha/O Liberal_17.7.2018
Prefeitura quer levantamento de impacto para dar andamento ao Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos servidores municipais

O documento não engloba 1.836 servidores que atuam no DAE (Departamento de Água e Esgoto), Fusame (Fundação de Saúde do Município de Americana), Gama (Guarda Municipal de Americana) e os professores do quadro de magistério da Secretaria de Educação. Essas categorias terão planos à parte. No total, a prefeitura tem 4,6 mil servidores.

Nesta terça-feira, o presidente do sindicato, Toninho Forti, teve uma reunião com o prefeito Omar Najar para discutir o assunto.

“Colocamos para o prefeito que agora esperamos agilidade no levantamento do impacto financeiro da proposta”, disse o sindicalista.

A ideia do sindicato é realizar a partir de agosto reuniões com os funcionários para dar esclarecimentos, e depois as assembleias obrigatórias.

O passo seguinte seria a Prefeitura de Americana encaminhar um projeto de lei para a câmara junto do levantamento de impacto financeiro.

De acordo com o advogado Antonio Duarte Júnior, que presta serviço para o sindicato, o plano prevê duas formas de evolução para o servidor.

“Uma é a evolução por tempo de serviço. A outra é pelo desenvolvimento do trabalhador na questão de estudo, assiduidade, cumprimento das suas funções. Essa é a diferença dos dois. Uma é por mérito e a outra é por antiguidade”, explicou.

A proposta prevê a criação de uma comissão técnica de gestão de carreiras, que será formada por membros da prefeitura, do sindicato e da secretaria na qual o servidor atuar.

O grupo será responsável por julgar os recursos sobre avaliação de desempenho e pertinência dos cursos apresentados para a evolução na carreira. O plano também contempla os aposentados pelo INSS que ainda estejam trabalhando.

Categorias

O sindicato espera que a prefeitura entregue até a semana que vem os planos já existentes para os profissionais do magistério e servidores do DAE.

O objetivo é apontar adequações para as categorias. A situação para os funcionários da Gama e Fusame é similar.

“O DAE já tem plano de carreira. Nós vamos pegá-lo para olhar e tentar complementar com o que por ventura estiver faltando e adaptar ao da prefeitura. A mesma coisa na Educação. Tem um plano que precisa ser atualizado”, disse Toninho.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora