Prédios municipais de Americana não possuem AVCB

O Paço Municipal, todas as secretarias, todas as Unidades Básicas de Saúde e o Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi não têm o documento


Nenhum dos principais prédios públicos municipais de Americana tem AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros), documento que atesta que uma edificação cumpre regras de segurança contra incêndios. O Paço Municipal, todas as secretarias, todas as Unidades Básicas de Saúde e o Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi não têm o documento. Os bombeiros de Americana preparam uma lista de todos os prédios sem AVCB para encaminhar à prefeitura.

No domingo, o LIBERAL mostrou que as 52 escolas municipais de Americana, onde estudam cerca de 12,6 mil alunos, também não passaram pela certificação dos bombeiros. O projeto para regularizá-las ainda nem saiu do papel.

Nesta quarta-feira, a prefeitura deu o último passo para finalizar uma licitação para contratar a empresa que vai prestar serviço de manutenção e regularização do sistema de combate a incêndios no Paço Municipal. Entre as convidadas, apenas uma firma se interessou e fez oferta, mas não apresentou todos os documentos necessários ontem. A prefeitura deu três dias para que ela faça isso.

Nos outros prédios públicos, segundo a prefeitura, o mesmo procedimento está sendo ou será realizado. Segundo o governo municipal, este processo demanda “tempo e investimento de recursos”.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Prefeitura finaliza uma licitação para regularizar o sistema do Paço

O Paço nunca teve AVCB, informou a prefeitura. “Problema verificado em diversos prédios públicos não só municipais e não somente em Americana.” Segundo a prefeitura, o projeto de incêndio – uma das etapas para obtenção do AVCB – já foi aprovado pelos bombeiros. Depois que a empresa contratada regularizar o sistema, o Executivo vai chamar os bombeiros para conseguir a emissão do AVCB. “O Paço já possui extintores, central de alarme de incêndio, hidrantes, detectores de fumaça e bomba de incêndio”, informou a prefeitura, em nota.

Para Walter Negrisolo, que já foi coronel dos bombeiros e defendeu doutorado sobre segurança contra incêndios na USP (Universidade de São Paulo), o que realmente interessa são as rotas de fuga, o alarme e o treinamento de funcionários para que todos consigam sair ilesos em caso de um prédio ser consumido pelas chamas. Isso vale para qualquer edificação, afirma Negrisolo.

De acordo com o especialista, a falta de AVCB é regra geral no Brasil e ter o certificado não significa que um prédio está seguro – e não tê-lo não evidencia que exista risco. Segundo ele, “hoje a regulamentação do Corpo de Bombeiros tem uma amplitude tal que dificilmente qualquer edificação, verificados todos os detalhes, seria considerada totalmente de acordo”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora