Prédios do Estado custam R$ 470,7 mil à prefeitura

Valor é referente ao desembolso anual com imóveis usados pelo governo do Estado; prefeito Omar Najar reclamou recentemente dos gastos


Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal.JPG
Aluguel de R$ 4,9 mil pago pela prefeitura para prédio utilizado pelo Estado

A Prefeitura de Americana gasta R$ 470,7 mil por ano com o aluguel de seis prédios que são usados pela Polícia Civil, corporação de responsabilidade do governo do Estado. São três delegacias, o setor de identificação e dois almoxarifados. As informações são da prefeitura.

Semana passada, o prefeito Omar Najar (MDB) escreveu, em resposta a comentário no Facebook, que pensava em dizer ao governador João Doria (PSDB) que pague os custos “ou então feche.”

A mensagem foi em resposta a uma internauta que havia criticado o prefeito e elogiado os deputados Vanderlei e Cauê Macris (PSDB), que segundo ela teriam recuperado uma verba para o HM (Hospital Municipal) – a verba em questão, para conclusão do pronto-socorro, era referente à renovação de um convênio que a prefeitura já tinha pedido.

“Aliás porque a senhora não pergunta para seus deputados até quando a prefeitura vai pagar aluguel dos imóveis ocupados por repartição do Estado (…). Sabe de uma acho que vou mandar pro seu querido governador que pague ou então feche. O município não é obrigado a pagar contas do Estado”, escreveu Omar.

A reportagem considerou apenas os gastos com prédios usados pelo poder Executivo estadual. Os pagamentos da prefeitura somam R$ 39,2 mil por mês.

A CPJ (Central de Polícia Judiciária), na Rua Dr. Cândido Cruz, e a DIG (Delegacia de Investigações Gerais), na Rua Orlando Dei Santi, têm os aluguéis mais caros: R$ 14,2 mil e R$ 11 mil, respectivamente. Estão na lista ainda a DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), com locação de R$ 4,9 mil, os dois almoxarifados (R$ 3,5 mil e R$ 2,7 mil) da polícia e a Seção de Identificação (R$ 2,7 mil).

Se contados gastos com prédios do judiciário, o gasto mensal salta para R$ 73,3 mil, ou R$ 879,7 mil por ano.

A prefeitura foi questionada se havia dado algum passo no sentido de exigir que o Estado pague os aluguéis e se realmente avaliava a questão, mas não houve resposta. A administração informou apenas os valores gastos. É comum, em outros municípios, a prefeitura arcar com esse tipo de gasto.

A reportagem questionou o Estado sobre o comentário de Omar.

Em nota, o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, disse que o governo “confia no diálogo, até mesmo por acreditar que um governante comprometido com o bem-estar da população não deixaria sua cidade sem espaços físicos para sediar órgãos imprescindíveis da administração pública, principalmente os ligados à Segurança”.

“O Governo acredita que o destempero político não é o caminho para resolver os problemas de uma cidade da importância de Americana”, afirmou o secretário.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!