Polícia e MP investigam terapeuta disseminador de fake news

Inquérito policial apura suposto crime de exercício ilegal da medicina por parte do terapeuta Jaime Bruning, que atende em uma clínica em Americana


A Polícia Civil de Americana investiga possível crime de exercício ilegal da medicina pelo terapeuta Jaime Bruning. A clínica onde ele faz suas avaliações, no Jardim São Paulo, foi alvo de mandado de busca e apreensão em janeiro.

Em novembro, Jaime Bruning apareceu em um relatório nacional sobre fake news na área da saúde. Ele foi considerado o principal disseminador de notícias falsas no YouTube – três de seus vídeos sobre vacinas possuem, juntos, mais de 3 milhões de visualizações.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Em janeiro, a Polícia Civil cumpriu mandado de busca e apreensão em clínica de terapeuta, localizada no Jardim São Paulo

No mesmo mês, o Ministério Público pediu à polícia que instaurasse inquérito para investigar a conduta do terapeuta após ter conhecimento, por notícias veiculadas no LIBERAL, de que ele faz propaganda antivacina na internet.

O MP apontou que Jaime também veicula conteúdo de cunho medicinal com anúncios de curas para doenças como diabetes e câncer “em regra, de modo infalível e por meio de procedimentos não usuais (uso de argila etc.)”.

A Promotoria lembra que não existem mecanismos “infalíveis” de cura quando se trata de enfermidades. Nas redes sociais, o terapeuta também já divulgou conteúdos falsos sobre doenças como dengue, microcefalia e febre amarela.

Além disso, o MP aponta que Jaime mantém uma clínica para atendimento de pacientes sem que possua formação na área médica. A Promotoria pede que a polícia investigue os anúncios e que apure se de fato o terapeuta atende pacientes e em quais circunstâncias.

No dia 15 de janeiro, a polícia cumpriu um mandado de busca e apreensão na clínica. De acordo com o boletim de ocorrência, foi encontrada uma “grande quantidade” de ervas embaladas e prontuários de clientes.

No momento da abordagem, estavam no local cinco funcionários, além do próprio terapeuta. Foram apreendidas diversas ervas, prontuários, livros, embalagens, formulários e HDs de computadores para perícia.

A Vigilância Sanitária de Americana foi chamada para acompanhar a polícia na ação. No momento da inspeção, a unidade verificou problemas como a ausência de certificado referente à habilitação profissional de Jaime. A clínica não possui alvará de utilização do prédio, mas tem até 60 dias para regularizar a situação.

Na quinta-feira, a reportagem apurou que a clínica prossegue em funcionamento, cobrando R$ 110 por uma avaliação e prescrição de tratamento.

Promotores e delegado não comentaram o andamento das investigações. Tanto Jaime Bruning quanto seu advogado foram procurados, mas disseram que não iriam se posicionar até a conclusão dos inquéritos.

Em novembro, o terapeuta respondeu ao LIBERAL que acredita “100%” nas informações que veicula na internet “porque são testadas pela sabedoria insuperável do inconsciente com o qual lido há mais de 20 anos”.

Além da Capa, o podcast do LIBERAL

A mobilização em Americana e Santa Bárbara em torno do Carnaval, a festa mais popular do País, é o assunto dessa edição do podcast “Além da Capa”. Ouça:

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora