07 de agosto de 2020 Atualizado 22:17

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

MUDANÇA

Plano São Paulo: Reclassificação frustra lojistas e dificulta projeções

Comércio de rua estava aberto há pouco mais de um mês, mas terá de fechar as portas na segunda-feira

Por André Rossi

04 jul 2020 às 08:17 • Última atualização 04 jul 2020 às 08:21

A reclassificação da região para a fase 1 (vermelha) do Plano São Paulo nesta sexta-feira frustrou os lojistas da região central de Americana, que têm dificuldades em projetar o futuro diante do cenário de incerteza.

Na primeira classificação do Plano São Paulo para retomada gradual da economia, Americana e região estavam na fase 2 (laranja), quando é permitido o atendimento presencial do comércio de rua, imobiliárias, concessionárias, escritórios e shoppings center (ou galerias).

A partir de segunda-feira, apenas os serviços considerados essenciais podem funcionar na região – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

O prefeito de Americana, Omar Najar (MDB), seguiu as determinações do Estado e autorizou o funcionamento do comércio durante quatro horas consecutivas e com 20% da capacidade, a partir do dia 1º de junho.

Pouco mais de um mês depois, o movimento no comércio foi marcado por altos e baixos, segundo a gerente da loja Calçadista, Divanete Aparecida Luizon, 55.

“A primeira semana deu aglomeração, um movimento que até ficamos assustados. Depois já foi acalmando, aí acalmou bastante e nessa semana começou a ter um pouco mais de gente. Não sei como é que fica agora. Nem paramos para pensar ainda”, comentou.

Comércio estava funcionando quatro horas por dia em Americana, conforme havia determinado o governo estadual – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Já a gerente do Zapp Móveis, Renata Simão, 37, conta que a primeira quinzena de reabertura foi bem movimentada, mas que a procura caiu consideravelmente na última semana. Sem a possibilidade de vender os produtos pela internet, o fechamento será prejudicial para o futuro da loja.

“Não sei nem o que falar para você. A gente diminuiu 30% do nosso quadro, que não tinha como manter. E agora, sinceramente, não sei o que dizer. Mais um mês que está perdido”, lamentou Renata.

O retorno à fase vermelha também frustrou o planejamento do Shopping Via Direta, que pretendia abrir as portas para o varejo durante todos os sábados do mês de julho. Desde agosto do ano passado, o complexo só vende para o setor atacadista.

Shopping Via Direto manteve funcionamento neste sábado – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Segundo a gerente administrativa do Via Direta, Viviane Cristina Ginetti, a abertura neste sábado para o varejo está mantida, das 10h às 14h . Dos 60 lojistas do complexo, 25 vão funcionar.

“Muitos lojistas investiram na coleção de inverno e nem todo mundo conseguiu fazer toda essa venda. Isso foi programado semana passada. Com o anúncio do governador, continuamos abrindo amanhã (hoje), mas na próxima semana vamos fechar novamente para o público geral”, explicou Viviane.

Presidente da Acia (Associação Comercial e Industrial de Americana), Wagner Armbruster disse que aguarda as resoluções municipais para “ver o que podemos ou não orientar aos nossos associados”.

Além da Capa
Os eleitores brasileiros ainda não sabem em que data irão às urnas neste ano para escolher novos prefeitos e vereadores. Diante dessa indefinição, como se comportam as campanhas em Americana e região nesse momento? Afinal, considerando a data originalmente prevista (4 de outubro), faltam menos de 100 dias para as eleições. Nesse episódio, o editor Bruno Moreira recebe o repórter André Rossi e editor-executivo e chefe de reportagem do LIBERAL, João Colosalle, para discutir o cenário regional.