Plano exigirá novo tratamento no saneamento básico

Processo de revisão pode passar a pedir tratamento terciário de esgoto, o que ajudaria a solucionar situação de aguapés


Tido como real solução para o problema da proliferação de aguapés na Represa do Salto Grande, em Americana, o tratamento terciário de esgoto – que elimina substâncias como fósforo e nitrogênio, principais “alimentos” das plantas aquáticas – deve passar a ser exigido pelo Plano das Bacias PCJ, documento elaborado pelo Consórcio PCJ que serve de norte para as ações de saneamento básico em toda a região. O plano atual é de 2010 e passa por processo de revisão até o fim deste ano.

É unânime entre Secretaria de Meio Ambiente, CPFL Renováveis e Gaema (Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente), do Ministério Público, a opinião de que somente o tratamento correto de esgoto das cidades que estão a montante da represa, ou seja, acima de Americana, é que a represa terá condições de ser recuperada.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Tecnologia já está sendo implantada na ETE Carioba, em Americana

Essa tecnologia, que está sendo implantada inclusive na ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) Carioba, em Americana, é cerca de 30% mais cara que a exigida atualmente, o tratamento secundário, que não remove justamente as substâncias que alimentam as plantas aquáticas.

O cenário pode estar prestes a mudar. Segundo os coordenadores da atualização do plano para alguns trechos dos rios das Bacias PCJ serão necessários investimentos em tratamento de esgoto mais sofisticados, como o tratamento terciário, principalmente em municípios que ficarão a montante de novos reservatórios, como os de Amparo e Pedreira, e também da Represa do Salto Grande.

ATUALIZAÇÃO

O Plano das Bacias PCJ está passando por revisão de suas ações e metas para atingir a melhora das águas dos rios da região, que terão de ser de no mínimo classe 3 a partir de 2035. Ele é um instrumento de gestão de recursos hídricos que identifica a “agenda” de programas e projetos necessários à recuperação e conservação dos recursos hídricos da bacia hidrográfica. De acordo com o Consórcio, é primordial que os municípios e órgãos participem das discussões com sugestões e críticas.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!