Parque Ecológico voltará a estar 100% liberado para visitantes

Depois de cinco anos, ainda este mês será possível visitar todas as áreas do Parque Ecológico de Americana, com a conclusão do recinto da ariranha


O Parque Ecológico de Americana voltará a ter toda sua área de visitação liberada ao público ainda neste mês. Há cerca de cinco anos, vários pontos permaneciam com a passagem bloqueada em função de benfeitorias que precisavam ser executadas. Com a conclusão do recinto da ariranha, o último trecho fechado ao público será reaberto e todos os caminhos internos do local voltam a ter livre acesso para os visitantes.

“Com a renda obtida com a bilheteria do parque foi possível uma série de melhorias e com isso ele voltará a ter 100% da sua área de visitação aberta ao público”, destaca o secretário de Cultura e Turismo, Fernando Giuliani. O parque possui área interna de 120 mil metros quadrados. São 12 quilômetros de caminhos que levam aos recintos e lagos internos.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Reforma do recinto da Ariranha foi concluída

Pelo menos metade desse trajeto recebeu pavimentação nova. A recuperação da malha foi necessária porque em vários trechos o asfalto danificado dificultava a caminhada e a passagem dos carrinhos de bebê. O parque é muito procurado por famílias e o recapeamento era um pedido de visitantes.

Outra reivindicação popular atendida, segundo o secretário, é a construção de novos conjuntos de banheiros. “Quando começamos a administrar o parque, fizemos uma pesquisa e um dos itens mais pedidos foi a construção de mais banheiros. Desde a inauguração, só havia um conjunto em todo o parque e ainda longe da área dos brinquedos. Para quem vem ao parque com criança, isso dificultava muito”, explica o secretário de Turismo.

Serão dois novos conjuntos. Um ficará ao lado do playground e o outro na praça de alimentação. A obra teve início na semana passada e deve durar 90 dias.

Recintos

Ao longo dos 12 quilômetros de caminhos ficam os recintos que abrigam 109 espécies – 16 delas ameaçadas de extinção – num total de 450 animais. O guarda-corpo de cimento que separa o público dos recintos vem sendo substituído por outro feito com cabos de aço e mourões de eucalipto.

A mudança reforça a proteção dos visitantes em relação ao recinto e ainda estabelece novo padrão visual. “Os vão criados pelos cabos de aço ficaram menores e impedem a passagem de crianças. Além disso, o eucalipto combina mais com o ambiente natural do parque”, detalhe Giuliani. Os dois maiores foram o da ariranha e o do hipopótamo.

O trecho em frente ao do hipopótamo era um dos fechados ao público. Além da impermeabilização da piscina para conter vazamento e correção de toda a estrutura de escoamento de água pluvial, a obra incluiu itens como a readequação do acesso principal do recinto e ampliação da sua dimensão para três metros.

O da ariranha também passou por reforma completa e ganhou nova cara com vidros laminados incolores ao redor. A espécie é ameaçada de extinção e a expectativa é de que o ambiente mais amplo e totalmente adaptado às necessidades do animal ajude também na sua reprodução. O parque negocia a vinda de um macho para fazer companhia à fêmea.

Benfeitorias

As obras e benfeitorias executadas nos últimos dois anos no parque incluem a reforma de 11 recintos e desassoreamento dos lagos do flamingo e dos jacarés do pantanal e do papo amarelo, já concluído, e o dos primatas, em andamento.

O lago dos primatas é o principal. Ele concentra cinco ilhas. Com a reforma, elas cresceram de tamanho e altura. Já foram retirados 626 caminhões de barro do local, num total de cinco mil metros cúbicos, e há previsão para retirada de mais 350 caminhões. A previsão é de que a obra esteja concluída até dezembro.

Além da ariranha e do hipopótamo, também ganharam casa nova as espécies furão, macaco de cara preta, harpia, urubu-rei, irara, mangusto, pelicano, papagaio verdadeiro e jacaré. A praça de alimentação e o playground, que passou a ter novos brinquedos, foram outros locais do parque com benfeitorias nos últimos dois anos.

“É importante que as pessoas saibam e vejam para onde está indo o dinheiro que eles pagam na bilheteria. São 31 melhorias feitas até agora com essa renda e vamos continuar investindo nas necessidades do parque”, ressalta o secretário de Cultura e Turismo, Fernando Giuliani.

O Parque Ecológico de Americana é aberto ao público de terça a domingo, das 8h às 17h. A entrada é permitida somente até as 16h, quando termina a venda de ingressos.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora