Parque abriga 16 espécies ameaçadas de extinção

Dentre as preocupações, recintos são fechados com vidro para preservar os animais do contato com alimentos arremessados pelos visitantes


O Parque Ecológico de Americana tem o maior grupo de macacos-prego do peito amarelo em cativeiro do País. O animal é uma das 16 espécies ameaçadas de extinção que vivem no local. Segundo o diretor do zoológico, João Carlos Tancredi, a cidade foi escolhida para sediar os estudos feitos com a espécie e comemora o nascimento de mais um filhote em cativeiro, no final do ano passado. “Ele fica grudado na mãe e ainda não foi possível ver o sexo, mas ele está aí”, disse.

Todos os animais ameaçados de extinção possuem planos de manejo. Em relação ao macaco-prego de peito amarelo, o plano é coordenado por uma equipe de trabalho sediado na França. Americana foi escolhida para centralizar o grupo de estudos no Brasil por reunir o maio número de exemplares. São 15 no total. O trabalho vai ao encontro da preocupação do local com as espécies ameaçadas.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Arara juba

“Tentamos chegar o mais próximo possível do habitat desses animais”, explica o secretário de Cultura e Turismo, Fernando Giuliani. Segundo ele, atividades como o enriquecimento ambiental (em que os biólogos simulam situações na alimentação dos animais para estimulá-los como se estivessem na natureza) demonstram o cuidado com o trato das espécies, em especial as que correm o risco de sumir.

Giuliani também cita a preocupação em fechar os recintos com vidro para preservar os animais do contato com alimentos arremessados pelos visitantes e ressalta a importância do local no conservacionismo. “O principal papel dos zoológicos é garantir a continuidade das espécies ameaçadas. Sem a reprodução em cativeiro muitas talvez nem existissem mais”, observa o secretário.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Macaco prego

No dia-a-dia o diretor do parque informa que equipe mantém um olhar diferenciado para os animais que correm o risco de serem extintos no habitat natural. “Está difícil encontrá-los na natureza, então a gente tem um cuidado especial em manter e conseguir a reprodução dos que vivem no parque”, disse. Tancredi cita que no ano passado, por exemplo, o local criou um setor específico para reprodução de aves ameaçadas.

São sete recintos sem acesso ao público, onde estão casais de espécies diferentes. “Conseguimos a reprodução da ararajuba, cujo filhote nasceu no ano passado. Também tivemos o nascimento de um filhote de arara azul, mas infelizmente não conseguimos fazer que evoluísse e acabamos perdendo o filhote”. A ararajuba nascida em cativeiro foi solta no recinto em janeiro. “Trabalhamos para conseguir a reprodução dessas espécies. Temos buscado e obtido sucesso com algumas, mas com outras continuaremos tentando”.

Segundo o diretor, os filhotes nascidos no parque são encaminhados para centros de referência da espécie para garantir a perpetuação.

Confira a lista de animais ameaçados de extinção que vivem atualmente no Parque Ecológico de Americana:

Mamíferos

• Cachorro vinagre
• Gato do mato
• Logo guará
• Jaguatirica
• Macaco-aranha testa branca
• Macaco-prego peito amarelo (Cidade foi escolhida para sediar estudos com a espécie)
• Mico-leão da cara dourada
• Onça pintada
• Tamanduá bandeira

Aves

• Arara azul
• Ararajuba (reprodução em cativeiro)
• Harpia
• Mutum do Sudeste
• Papagaio chauá
• Papagaio da cara roxa
• Papagaio de peito roxo

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora