Vereadores ‘travam’ convocações de alvos de operação

Falta de assinaturas fez com que requerimento para chamar Alex Niuri perdesse validade; ele seria questionado sobre suposta fraude na merenda


Os vereadores Guilherme Mancini, Rafael Macris e Thiago Brochi, que formam a bancada do PSDB na Câmara de Americana, e Alfredo Ondas (MDB), retiraram suas assinaturas do requerimento que convocava o secretário de Negócios Jurídicos, Alex Niuri, para prestar esclarecimentos dentro do âmbito da operação Cadeia Alimentar II.

Niuri foi preso temporariamente no dia 26 de dezembro na Operação Cadeia Alimentar 2, da Polícia Federal, que investiga fraudes na compra de merenda escolar entre 2013 e 2017.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp. Clique aqui e envie uma mensagem para ser adicionado na lista de transmissão!

Ele deixou a prisão três dias depois e negou ter recebido propina. O prefeito Omar Najar (MDB) o manteve no cargo por entender que não havia nada contra o secretário.

Já Dirineu Soares de Barros Junior, o Juninho Barros, que também foi alvo da operação, foi exonerado do cargo de secretário de Governo. No caso dele, a PF investiga se atuava como lobista de José Geraldo Zana para negociar fraudes em contratos e pagamento de propinas em outras cidades. Por não ser mais secretário, ele não foi convocado.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal_7.11.19
Ondas disse que o assunto foi bastante discutido na câmara

O requerimento do dia 10 de dezembro é de autoria da vereadora Maria Giovana (PCdoB) e convocava, além de Niuri, a secretária de Educação, Evelene Ponce Medina, e os responsáveis técnicos pela merenda na pasta. O documento contava com nove assinaturas e estava em tramitação.

Entretanto, no dia 19 do mês passado, os quatro vereadores protocolaram um documento de retirada de assinatura. Para poder tramitar, o requerimento precisa de ao menos sete assinaturas. Como restaram apenas cinco vereadores, o texto perdeu a validade.

Ondas disse que o assunto foi “bastante discutido” nos bastidores da câmara e que houve uma mudança de entendimento.

“Com o passar dos dias a gente notou duas situações: existe uma investigação ainda em curso cujos detalhes não foram passados para a imprensa e tratar desse assunto fora da investigação neste momento poderia até atrapalhar. O outro foi se notar o interesse de alguns em fazer palanque político”, justificou Ondas.

Já Mancini admitiu que o tema foi debatido com os colegas tucanos, mas que não sabia que Ondas retiraria a assinatura.

“Conseguindo informações mais concretas, aí sim, no meu ponto de vista, nós vamos chamar ele [Niuri] para que esclareça vários pontos. O meu principal problema atual é falta de informação concreta”, disse Mancini.

O LIBERAL não conseguiu contato com Rafael Macris e Thiago Brochi até o fechamento desta edição.

Listen to "#7 - Operação da PF bate à porta do governo Omar" on Spreaker.

De acordo com Maria Giovana, os quatro vereadores não disseram que iriam retirar as assinaturas. Ela tomou ciência do assunto nesta segunda ao consultar a tramitação e agora pretende apresentar um novo requerimento, que será encaminhado para todos os vereadores.

“Estamos fazendo a convocação de pessoas envolvidas em um grande caso de investigação de corrupção. Inclusive, a minha opinião é de que essas pessoas deveriam ir até a câmara para prestar esclarecimentos sem que tivessem que ser convocadas”, opinou.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora