Parada segura deve ser aplicada no transporte de Americana

Projeto visa ajudar as mulheres, idosos e também portadores de deficiência


Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Conforme o projeto, o atendimento poderá ser solicitado pelas passageiros por meio dos dispositivos disponíveis no veículo ou diretamente ao motorista

Um projeto de lei protocolado na Câmara de Americana propõe a adoção da parada segura para mulheres usuárias do transporte público municipal. A iniciativa é do vereador Padre Sergio Alvarez (PT) e prevê que, além das mulheres, idosos e portadores de deficiência poderão solicitar a parada do ônibus fora dos pontos depois das 20 horas. O objetivo é dar mais segurança e praticidade a essas pessoas. A matéria ainda tramitará pelas comissões antes de ser votada. Na RPT (Região do Polo Têxtil), projeto semelhante já foi aprovado e sancionado neste ano em Sumaré. A matéria é de autoria do vereador Willian Souza (PT).

Conforme o projeto, o atendimento poderá ser solicitado pelas passageiros por meio dos dispositivos disponíveis no veículo ou diretamente ao motorista, que terá a “responsabilidade e o discernimento” de fazer a parada no local indicado, mais iluminado e mais próximo ao destino. A parada do coletivo deverá ocorrer exclusivamente ao longo do trajeto original dos ônibus, não sendo permitidos desvios ou acessos por caminhos diferentes.

De acordo com o autor da proposta, o objetivo é aumentar a segurança dos usuários do transporte público a fim de que precisem andar menos durante a noite para chegar em casa. “Tem lugares que os pontos são muito distantes uns dos outros e a pessoa vai poder pedir ao motorista para descer numa esquina mais próxima, por exemplo”, afirmou o vereador.

A justificativa do projeto aponta que “com a prerrogativa de desembarcar fora do ponto, as mulheres podem escolher o local que lhe proporciona a melhor sensação de segurança”. Além disso, a adoção da parada segura, segundo o projeto, dificulta a ação de criminosos, uma vez que o local de desembarque das passageiras será incerto.

O projeto prevê que a Utransv (Unidade de Trânsito e Sistema Viário) seja a responsável por orientar a concessionária do transporte público para que fixe aviso nos coletivos para que as mulheres tenham conhecimento do direito à “parada segura”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!