Paciente com câncer em estágio avançado morre à espera de vaga

Mulher estava internada desde 8 de setembro no Hospital Municipal de Americana, aguardando transferência para uma unidade com atendimento oncológico


Uma paciente com câncer em estágio avançado morreu no último domingo no Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi, em Americana, enquanto aguardava a transferência para uma unidade com atendimento oncológico. Paula Regina Eisgrineiro, de 40 anos, estava internada desde 8 de setembro. A Secretaria estadual de Saúde afirma que não localizou nenhuma solicitação de vaga de internação em nome dela. A Prefeitura de Americana não se manifestou.

A Justiça concedeu apenas nesta quarta-feira uma liminar pedida pelo Ministério Público cinco dias antes para obrigar o Estado a disponibilizar uma vaga.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Tia de Paula disse que a sobrinha foi bem atendida no HM, mas que decisão para seu caso chegou tarde demais

“Defiro liminarmente a antecipação da tutela para determinar a ré a obrigação de imediata internação hospitalar da paciente para se submeter a tratamento oncológico, tal como pleiteado, sem interrupção, sob qualquer hipótese ou argumento, exigência burocrática ou outro empecilho formal, sob pena de sujeição à multa diária de R$ 3 mil”, diz a decisão assinada pelo juiz André Carlos de Oliveira, da 4ª Vara Cível de Americana.

Segundo a tia de Paula, Maria Aparecida de Freitas Caetano, a decisão chegou tarde demais. “Ela foi muito bem atendida no hospital de Americana, mas a doença já estava em estágio avançado. O Ministério Público nos deu muita atenção, foi muito rápido em agir, mas mesmo assim foi muito tempo para quem precisa de ajuda”, disse.

Paula Regina tinha dois filhos, de 12 e 15 anos, e foi uma das beneficiadas com os apartamentos do Residencial Vida Nova, conjunto habitacional construído por meio do programa Minha Casa Minha Vida. “Ela tinha acabado de arrumar o apartamento dela ali, para as crianças. Ficou pouco tempo lá. Eu só fiquei sabendo do câncer quando ela foi internada”, completou a tia.

Em nota, a assessoria de imprensa da Secretaria estadual de Saúde afirmou que não localizou com os dados informados pela reportagem – RG e CPF da paciente – nenhuma solicitação, por parte do hospital de Americana, de uma vaga de internação para ela. “Consta em sistema somente um agendamento feito pelo próprio município de Americana nessa terça-feira, 9 de outubro, para consulta com Mastologia no CAISM (Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher) da Unicamp, que ocorreria em 23 de novembro”, diz o texto encaminhado ao LIBERAL.

A assessoria da Fusame (Fundação de Saúde de Americana), responsável pelo hospital, não quis se manifestar. “A questão está sendo tratada na via judicial e, é nesse âmbito que iremos nos manifestar”, afirmou.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!