Operação em chácara na Praia dos Namorados resulta em prisão

A polícia acredita que o suspeito, conhecido como Dodô, tinha ligação com o grupo que foi morto pelo Baep, em março


Uma operação contra uma suposta quadrilha de ataques a caixas eletrônicos levou a Polícia Civil a prender um homem por tráfico de drogas na manhã desta terça-feira, em uma chácara na Praia dos Namorados, em Americana. A polícia acredita que o suspeito, conhecido como Dodô, tinha ligação com o grupo morto pelo Baep (Batalhão de Ações Especiais) da PM (Polícia Militar) em Campinas, em março – na ocasião, sete pessoas que supostamente iriam participar de um furto a caixa eletrônico em Joanópolis foram mortas.

Os policiais de Americana tinham informações de que um grupo estava reunido na chácara para planejar e executar um crime nesta terça. Ao menos 20 policiais foram ao imóvel e encontraram 13 suspeitos, seis homens e sete mulheres. Todos foram detidos, mas só um, Dodô, preso, porque havia 104 pedras de crack no seu carro. Não havia armas na chácara.

Foto: Gama / Divulgação
Chácara na Praia dos Namorados foi alvo da polícia; suspeito teria ligação com grupo morto pelo Baep

A operação foi comandada pela Dise (Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes) de Americana. A polícia chegou ao local porque investigava Dodô. Uma operação contra o tráfico de drogas no fim de março já tinha tentado prendê-lo, mas ele não foi encontrado em sua casa. Naquela ocasião, cinco pessoas foram presas em Americana e outras 11 na cidade de Dois Córregos. Em meio àquelas investigações, descobriu-se a relação de alguns dos suspeitos, inclusive Dodô, com quadrilhas de furtos a caixas eletrônicos.

Os policiais então tiveram a informação de que ele se reuniria com um grupo para planejar e executar um ataque a caixa eletrônico ou outro tipo de roubo nesta terça.

As 13 pessoas, que estavam dormindo quando a polícia chegou, foram detidas, mas só Dodô ficou preso. Todos os outros homens tinham passagem por roubo, segundo o delegado Luís Carlos Gazarini, da Dise.

Os celulares dos suspeitos foram apreendidos. Segundo Gazarini, a chácara em que o grupo estava pertence a “Rose do Pó”, acusada de tráfico e presa em 2015 pela polícia em Americana. O delegado disse que o grupo não tinha nenhuma ligação com Rose. A chácara estava alugada para Dodô.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!