28 de setembro de 2020 Atualizado 22:24

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Americana

Operação da Dise prende ‘laranja’ do tráfico na região do Bertoni

Ação policial resultou na apreensão de seis quilos de drogas enterrados em uma mata do bairro e R$ 84 mil

Por Leonardo Oliveira

25 jul 2020 às 14:15 • Última atualização 25 jul 2020 às 14:23

Uma operação da Dise (Delegacia de Investigações Gerais de Americana) apreendeu seis quilos de drogas e R$ 84 mil nesta sexta-feira (24), na região do Jardim Bertoni.

Um mecânico de automóveis de 29 anos, suspeito de envolvimento de ser uma espécie de “laranja” para o tráfico da região, foi preso.

Operação resultou na apreensão de seis quilos de drogas, entre cocaína e maconha, e R$ 84 mil em espécie – Foto: Dise / Divulgação

A ação, que teve o apoio de outras unidades da Polícia Civil e da Gama (Guarda Municipal de Americana), é um desdobramento da prisão do líder da quadrilha e disciplinador do PCC (Primeiro Comando da Capital) na região, ocorrida no último dia 18 de junho, na cidade.

A partir das informações colhidas dos celulares apreendidos na época e de anotações do tráfico, o delegado Luis Carlos Gazarini conseguiu descobrir a localização de dois baldes com drogas em uma região de mata do Jardim Bertoni.

Nesta sexta, 37 policiais foram deslocados para a Operação Dejavu. Foram encontradas 4,3 kg de maconha e 2 kg de cocaína nos tambores.

Por meio do cruzamento de informações e dados colhidos nos últimos meses, a Dise também conseguiu ligar um mecânico de automóveis ao esquema. Ele atuava transportando a droga entre cidades e era uma espécie de “laranja” do líder da quadrilha na compra de bens materiais.

“Ele [líder da quadrilha] estava fazendo uma lavagem de dinheiro em nome do mecânico”, disse Gazarini.

O mecânico foi preso em sua residência, no Jardim Mirandola, ouvido na delegacia e teve prisão decretada por tráfico de drogas e associação ao tráfico. Ele foi levado até a cadeia de Sumaré, onde ficou detido.

Ao todo, foram nove mandados de busca e apreensão cumpridos em Americana e Santa Bárbara d’Oeste.

Dinheiro
Além do tráfico de drogas, a quadrilha atuava também na venda de materiais furtados. A Dise descobriu que um empresário havia comprado do traficante uma carga de tecidos furtada de uma empresa do Werner Plass em abril deste ano.

Na época, cerca de R$ 300 mil em tecidos foram levados da companhia. No celular do líder do grupo, foram encontrados mensagens indicando que o empresário teria uma dívida de R$ 30 mil com o traficante pela negociação do produto.

Na casa dele foram encontrados R$ 84 mil reais. Como a empresa alvo de furto não chegou a registrar um boletim de ocorrência do crime na época, o empresário não foi preso.

Publicidade