29 de setembro de 2020 Atualizado 16:55

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Leitos

Omar sanciona lei que obriga rede particular a divulgar ocupação de UTIs

Hospitais de Americana terão de informar diariamente a ocupação de leitos para Covid-19

Por André Rossi

12 ago 2020 às 08:06 • Última atualização 12 ago 2020 às 13:18

O prefeito de Americana, Omar Najar (MDB), sancionou nesta terça-feira (11) uma lei que obriga a divulgação diária do número de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) disponíveis e ocupados nos hospitais particulares da cidade para pacientes com o novo coronavírus (Covid-19).

A publicação ocorreu no Diário Oficial do município e entrou em vigor no mesmo dia. No entanto, até o fechamento desta reportagem, as taxas ainda não estavam disponíveis no site oficial da prefeitura.

Segundo a assessoria de imprensa do Executivo, os dados dos hospitais particulares foram recebidos e encaminhados para o setor de gestão do site, que estava realizando as “adequações necessárias para a disponibilização”.

A tendência é de que as informações já estejam disponíveis nesta quarta-feira. As taxas de ocupação de cada hospital serão atualizadas diariamente e de forma individualizada.

A lei determina que os hospitais devem enviar por e-mail no mínimo os seguintes dados: número de leitos UTI operacionais e quantidade de leitos UTI ocupados, incluindo aqueles com uso de respiradores

Desde o dia 24 de junho, a prefeitura divulga os leitos da rede privada junto com os do Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi. Até então, a prefeitura apenas informava os leitos ocupados no hospital municipal.

Nesta terça-feira, a ocupação de leitos exclusivos para o novo coronavírus na rede pública e privada era de 64%. Dos 58 leitos com respiradores, 37 estavam ocupados.

Já nas unidades sem os equipamentos, a taxa era de 61%, com 41 dos 67 em uso. A ocupação nos leitos com respiradores do HM subiu de 24% para 35%, enquanto houve queda de 94% para 56% nos sem respiradores.

Projeto
A lei em questão foi proposta pelo vereador Welington Rezende (Patriota) e aprovada pela câmara em regime de urgência no dia 25 de junho.

Uma emenda do vereador Alfredo Ondas (MDB) – que também foi aprovada – determina que a lei terá validade enquanto perdurar o estado de calamidade pública. Portanto, deixará de surtir efeitos quando a situação for normalizada.

Podcast Além da Capa
Americana e região avançaram à fase amarela do Plano São Paulo pela primeira vez. Esse episódio do “Além da Capa” dá o tom do contexto local diante da etapa mais flexível vivida até agora desde o início da quarentena provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Publicidade