Olivier Hick: hotel Ibis não deve ser um estranho em seu bairro

A ser inaugurado este mês, Ibis Americana estimula uso sem necessidade de hospedagem; cidade foi escolhida pelo potencial de utilização corporativa


Americana vai ganhar em junho o primeiro hotel da marca Ibis. Localizado na Avenida São Jerônimo, no bairro Bela Vista, o empreendimento tem previsão de inauguração no dia 10. A operadora Accor informou que foram gerados 12 empregos diretos e que o hotel terá 126 apartamentos.

Olivier Hick, da Accor, concedeu uma entrevista por e-mail ao LIBERAL e destacou que pretende que o hotel esteja integrado à comunidade, quebrando a ideia de que seja um corpo estranho ao bairro.

Foto: Divulgação
A ser inaugurado este mês, ibis Americana estimula uso sem necessidade de hospedagem; cidade foi escolhida pelo potencial de utilização corporativa

Além disso, definiu como natural a escolha de Americana para receber um hotel no modelo Ibis. Na operadora, ele ocupa o cargo de COO Midscale and Economy Brands AccorHotels Brasil.

Qual será a estrutura do hotel?

HICK. O Ibis Americana tem 126 apartamentos, divididos em nove andares. Todos eles são equipados com a SweetBed by Ibis, cama desenvolvida pela equipe da Accor que se ajusta ao corpo do hóspede, com o objetivo de promover uma ótima noite de sono.

O hotel conta com sala de passar, estacionamento gratuito e restaurante, que serve um farto café da manhã, com muitas frutas, pães doces e salgados, bolos, queijos, iogurtes, bebidas quentes e frias. Além disso, é possível saborear refeições rápidas no almoço e jantar, e o restaurante é aberto para todos, mesmo para quem não está hospedado. Um hotel aberto para todos é um dos conceitos da nova fase da marca ibis. Nós o batizamos de We Are Open.

Desta forma, estimulamos que nossos espaços sejam usufruídos, utilizando o lobby como coworking, por exemplo. Pagando uma pequena taxa, os clientes que não estão hospedados têm direito a Internet e refil de café à vontade. Outro diferencial é o hotel ser dog friendly, ou seja, não é preciso deixar o seu cão, de até 15 quilos, em casa para viajar.

A Accor informou que espera durante a semana hospedagens predominantemente corporativas – haverá também disponibilidade de espaço para eventos empresariais?

HICK. Sim, acreditamos que durante a semana o hotel terá grande fluxo de hóspedes corporativos e aos finais de semana turistas de eventos sociais que ocorrem na cidade. Por esse motivo, ofereceremos o lounge do hotel como uma opção para reuniões/espaço de coworking, assim como já fazemos em outros hotéis da marca.

Qual a faixa de preço dos apartamentos?

HICK. A faixa de preço dos apartamentos é R$ 159 sem café (diária); R$ 179 single, com café (diária); R$ 199 duplo, com café (diária). Lembrando que as tarifas podem sofrer alterações com o decorrer do tempo.

Anunciado em 2012, o hotel tinha previsão inicial de entrega em 2016. Houve algum motivo/decisão estratégica para a entrega em 2019?

HICK. Um hotel, entre construção e abertura, demora, pelo menos, três anos para ser inaugurado. É necessário levar em contar que dependemos da aprovação dos órgãos municipais para conseguirmos todas as licenças necessárias e isso pode acarretar mudanças na data de abertura. Entretanto, estamos muito contentes em poder oferecer os nossos serviços da região por meio de uma marca querida e confiável como Ibis.

Qual o valor investido no Ibis de Americana?

HICK. A Accor não é dona dos hotéis, é operadora. Por este motivo, o valor total investido só é divulgado pelo investidor da unidade.

Por que escolheram Americana para receber o investimento?

HICK. Podemos considerar alguns fatores para a escolha de Americana para receber um Ibis. A Accor tem um ambicioso plano de expansão no Brasil. Atualmente, temos 311 hotéis no país e nosso objetivo é chegar a cerca de 380 até 2022. E essa expansão é liderada por Ibis. Estamos levando a marca para o interior, para cidades com mais de 100 mil habitantes, por entendermos que há grande demanda que pode ser suprida.

Além disso, Americana faz parte do principal polo têxtil do Brasil, com muitas indústrias do ramo, além de reunir empresas multinacionais de outros setores. Ou seja, há um grande potencial para nós, principalmente corporativo, e escolher a cidade foi um processo natural.

Quais são as tendências para o setor hoteleiro no país?

HICK. Acredito que a tendência para o setor hoteleiro no país em geral é de crescimento e otimismo. O país está crescendo de forma lenta, porém consistente, e isso é muito devido a alguns fatores relevantes como seu potencial turístico e econômico enorme. O turismo preenche aproximadamente 9% do PIB do Brasil, um número baixo perto do potencial do País, e aqui a maior parte dos hotéis ainda é administrada por pequenos empreendedores.

O potencial é gigantesco, tanto para abrir novos hotéis como para converter hotéis de pequenos proprietários em marcas nossas, o que é um bom negócio para todos: para nós, pois ampliamos nossa presença, e para o empreendedor, que passa a ter um hotel de categoria internacional, com nosso know-how e nossa força de vendas.

Além disso, o foco no cliente é outro fator extremamente importante e que segue como uma tendência, pois buscar formas de aperfeiçoar produtos e serviços é essencial para atingir a expectativa dos clientes e proporcionar uma experiência que seja incrível.

Falando especificamente da Accor, uma das tendências que estamos trabalhando é o conceito que nós batizamos de We Are Open, especificamente conectado à marca Ibis. A ideia aqui é abrir o hotel para a comunidade em que ele está inserido, acabar com a ideia de que restaurantes e bares de hotéis não são abertos para todos, mostrar que o lobby pode ser um local bacana para trabalhar.

Um hotel não deve ser um “estranho” em seu próprio bairro, pelo contrário. Por que não aproveitar para tomar um café da manhã diferente, pertinho de sua casa? Ou até mesmo dormir no hotel quando busca fugir da rotina? Estamos sempre de portas abertas e essa é uma tendência que veio para ficar.

Alguma novidade que a Accor pode informar de novos investimentos?

HICK. A Accor está em constante expansão. Falando especificamente das marcas Ibis, Ibis Styles e Ibis budget, hoje já temos 211 hotéis espalhados pelo Brasil e nosso objetivo é chegar a, aproximadamente, 273 hotéis no país até 2022, somando 41.021 quartos. Além dessas aberturas, temos outras novidades, como a chegada da Fairmont no Brasil.

Essa marca de luxo fará sua estreia no Rio de Janeiro, no prédio onde antes era ocupado pelo Sofitel Copacabana, também da Accor. A inauguração do Fairmont Rio de Janeiro Copacabana deve ocorrer ainda neste ano. Outra marca que chega ao Brasil é a JO&JOE. Ela tem o conceito de um open house, que estimula a interação entre hóspedes e não hóspedes, para que usufruam de sua estrutura e serviços.

Até o momento temos apenas dois JO&JOE no mundo, ambos na França. Mas, em 2020, está prevista a inauguração do JO&JOE Rio de Janeiro, um projeto muito especial que será instalado no Largo do Boticário, que é tombado pelos órgãos de patrimônio histórico e fica aos pés do Corcovado.

Além disso, teremos mais marcas no Brasil em breve, como é o caso de Tribe – uma marca da categoria midscale que reúne o espaço e a versatilidade de Ibis com o luxo e irreverência de Pullman, por exemplo. Teremos, também, o lançamento mundial da marca de luxo House of Originals e poderemos ter em São Paulo marcas como MGallery e Mama Shelter, além de outras que foram compradas pela Accor.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora