07 de março de 2021 Atualizado 08:23

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Na quarentena, adoção de cães e gatos reduz, e abandono tem aumento

Em Americana, centro de zoonoses diz que acolhimento de animais por famílias caiu 41%; incertezas na pandemia contribuem

Por Isabella Holouka

26 abr 2020 às 09:07 • Última atualização 27 abr 2020 às 10:25

Em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), as instituições que abrigam e protegem animais na região relatam uma queda nas adoções e um aumento nos abandonos.

Foto: Prefeitura de Americana - Divulgação
No CCZ, em Americana, adoções de cães e gatos caíram de 34 para 20 nos primeiros três meses deste ano em comparação com 2019

O CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) de Americana afirma que as adoções caíram 41% na comparação entre o primeiro trimestre de 2019 e 2020. Na época, foram 34 animais adotados. Neste ano, foram 20.

O principal motivo para isso, segundo a entidade, é a suspensão temporária, por prevenção à Covid-19, de eventos que estimulavam a adoção. “Nossos animais deixaram de participar das feiras aos sábados”, comentou a médica veterinária, Aneli Marques, responsável pelo CCZ.

Outro motivo, também ligado à pandemia, segundo Aneli, é a instabilidade financeira. “Isso acaba desestimulando as pessoas a adotarem pela insegurança que a situação está gerando”, disse.

O CCZ, localizado na Praia Azul, possui em torno de 80 gatos e 100 cães, atualmente. Todos foram recolhidos feridos, atropelados ou doentes, mas estão castrados, vacinados e microchipados, aguardando adoção. Alguns vivem no local há mais de seis anos.

Segundo Aneli, não houve aumento no recolhimento de animais neste primeiro mês de pandemia. Por outro lado, mais pessoas passaram a procurar o atendimento para encaminhar os animais ao Centro.

“Observamos bastante ligações de pessoas querendo entregar o animal. Nós orientamos a procurarem um novo dono, tentar doação pelas redes sociais”, contou a veterinária ao LIBERAL.

A queda nas adoções também foi sentida pela AAANO (Associação Amigos dos Animais de Nova Odessa), que abriga cerca de 600 cães e gatos.

A diretora social da ONG, Larissa Frias, afirma que as adoções de animais caíram mais da metade. Paradoxalmente, cresceu a busca de famílias interessadas.

“Aumentou a procura, mas quando falamos que faremos entrevista, contrato, que o animal será microchipado, que faremos o acompanhamento e explicamos as responsabilidades, as pessoas somem”, desabafou.

Com relação ao abandono de animais, ela relata que a organização chegou a encontrar sete apenas na última semana, sem contar as denúncias recebidas diariamente.

Roberta Dias, da ONG Animais Têm Voz, de Americana, diz acreditar que o ano de 2020 já vinha se mostrando crítico e que a situação foi agravada pela pandemia.

“Abandono e pedidos de ajuda aumentaram em todos os sentidos. Inclusive há pessoas que abandonam animais porque acham que eles podem transmitir o vírus”, ressaltou Roberta.

Como adotar um animal em abrigos da região

No CCZ, é preciso ser adulto e levar RG, CPF e comprovante de endereço no local. O centro de zoonoses fica localizado na Avenida Heitor Siqueira, 1520, na Praia Azul, e está aberto para visitação de segunda a sexta-feira, das 9h às 15h30. Os telefones são 3467-1187 e 3467-2344.

O contato com a AAANO, tanto para adoções de animais quanto para doações para a associação, pode ser feito pelo WhatsApp 99115-9231.

Já para o contato com a ONG Animais Têm Voz, o telefone é o 99247-4077.

Publicidade