Mulheres relatam bicho em comida do CDP de Americana

Parentes também se queixam de dificuldade dos presos para acesso a medicamentos e a atendimento médico e odontológico


Mulheres e mães de detentos do CDP (Centro de Detenção Provisória) de Americana dizem que a refeição servida a eles chega azeda e, às vezes, até com bichos e pedaços de prego. Elas também se queixam de dificuldade de presos para acesso a medicamentos e a atendimento médico e odontológico. A SAP (Secretaria Estadual de Administração Penitenciária) nega tudo e diz que são denúncias falsas.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp. Envie uma mensagem para ser adicionado na lista de transmissão!

O LIBERAL ouviu seis parentes de presos. Elas pretendem fazer um protesto contra a situação. Além da suposta má qualidade da refeição, dizem que pouca comida chega aos detentos.

Algumas das mães dizem que a comida melhora no dia de visitas, mas no outro a situação é a mesma. Umas relatam que o problema surgiu há cerca de duas semanas, outras dizem que começou há meses. Nenhuma quis se identificar.

A SAP informou que a comida servida em Americana, tanto para os presos quanto para os funcionários, é preparada por detentos do CDP de Limeira diariamente. Informou que a alimentação é balanceada, imediatamente transportada a Americana e, ao chegar, examinada por servidor que atesta a qualidade.

A SAP informou ainda que as solicitações de atendimento de saúde passam por triagem da equipe de enfermagem e são encaminhadas ao médico do CDP. Segundo a SAP, todos que solicitem “previamente” recebem assistência odontológica semanal.

Além da Capa, o podcast do LIBERAL

Confira o episódio desta semana do podcast Além da Capa, que trata sobre a entrega do novo Pronto Socorro do Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi, em Americana. A missão deste episódio é explicar os 11 anos que se passaram entre o anúncio e a entrega da obra:

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora