Moradores de residencial apontam prejuízos após temporal

Apartamento na Praia dos Namorados é invadido pela água e engenheiro perde quase tudo


A chuva que castigou Americana neste domingo provocou desespero e prejuízo. O apartamento do engenheiro Wilian Martinez, de 37 anos, foi invadido pela água depois que um muro que separa o seu condomínio do residencial vizinho desabou, na Praia dos Namorados.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Muro de condomínio residencial na Praia dos Namorados desabou com a chuva e água invadiu apartamento

Martinez está em Maceió (AL) com a esposa e o filho, onde deve permanecer por dois meses a trabalho. Foi avisado por telefone que havia perdido praticamente tudo que havia lá dentro. “Agora eu não sei nem o que fazer, fui pego de surpresa”, disse Martinez nesta segunda.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp. Clique aqui e envie uma mensagem para ser adicionado na lista de transmissão!

Ele disse que os representantes de seu condomínio e o do vizinho estão conversando e que recebeu a informação de que o seguro de um ou de outro devem ser acionados para cobrir os prejuízos.

Segundo familiares de Martinez que limpavam a moradia ontem, com exceção da TV e do micro-ondas, tudo foi estragado pela água.

O síndico do condomínio, Leandro Lima, disse que a saída de água do residencial ao lado, que está num patamar mais alto, ficou bloqueada por um objeto arrastado pela correnteza, o que causou o acúmulo de água e o rompimento do muro.

Ouça o “Além da Capa”, um podcast do LIBERAL

Arrastado

Um homem que passava pela Avenida Nicolau João Abdala teve seu carro arrastado e caiu dentro do Rio Piracicaba, mas foi resgatado pelos bombeiros, recebeu atendimento médico e passa bem.

Na mesma avenida, a motorista de ônibus Patricia Araújo Marson ficou ilhada dentro do próprio carro com o marido e as filhas, de 9 e 11 anos. Perto da Suzano, o Ford Ka enguiçou e a água já cobria metade da porta do lado de fora do carro. Um homem e uma mulher socorreram a família, que esperou dentro de um ônibus a água abaixar.

“Desespero total. Minhas filhas ficaram nervosas, chorando, eu não sabia o que fazer, o meu medo era o carro começar a boiar e ir para o rio”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora