27 de novembro de 2020 Atualizado 11:53

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

INVESTIGAÇÃO

Ministro da eucaristia suspeito de assédio é preso dentro da Basílica Santuário

Homem é suspeito de assediar crianças e adolescentes; duas vítimas teriam sido abusadas na casa dele, segundo a denúncia

Por André Rossi

15 out 2020 às 23:44 • Última atualização 15 out 2020 às 23:55

Um homem de 32 anos foi preso na tarde desta quinta-feira (15) dentro da Basílica Santuário Santo Antônio de Pádua, no Centro de Americana, suspeito de assediar sexualmente meninos e adolescentes. Ele atua na igreja como ministro da eucaristia e músico, onde teria entrado em contato com as vítimas.

A investigação é conduzida pela DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) de Americana, que recebeu as denúncias. A prisão temporária é válida por 30 dias. Mandados de busca e apreensão também foram cumpridos na residência do homem, que é solteiro e mora sozinho.

De acordo com a delegada responsável pelo caso, Regina Castilho Cunha, os relatos apontam que o suspeito assediava crianças e adolescentes, sempre do gênero masculino, com “intuito libidinoso”. As denúncias recebidas dizem ainda que duas vítimas teriam sido abusadas na casa do homem.

A delegada não entrou em detalhes, mas informou que já solicitou exames para identificar “evidência sexual”.

“Tenho duas vítimas. Com a probabilidade muito grande de ter sido consumado [o abuso]. Consumava na casa dele”, afirmou Regina.

A investigação teve início há cerca de 15 dias. Com os mandados de prisão temporária e busca e apreensão expedidos pela Justiça, os agentes foram até a casa do suspeito nesta quinta-feira, mas ele não estava no local; o bairro não foi informado.

Na sequência, os policiais se dirigiram até a basílica e esperaram o homem chegar. Segundo a delegada, ele demonstrou surpresa ao ser abordado.

“Ficou meio surpreso, negou, mas a gente vai ver o conjunto todo de provas”, disse Regina.

Foram apreendidos um celular e um computador, que serão submetidos à perícia. A delegacia aguarda a conclusão dos laudos periciais e pretende colher mais depoimentos para verificar se há outras vítimas.

A identidade do suspeito não foi revelada porque a investigação ainda está em curso.

A assessoria de imprensa da Diocese de Limeira, responsável pela basílica, informou na noite desta quinta-feira que a igreja não tinha conhecimento das investigações e que vai colaborar com a Polícia Civil. Um posicionamento oficial será divulgado nesta sexta-feira (16), às 11 horas.

Caso Leandro

Em 27 de janeiro de 2019, o reitor da basílica, padre Leandro Ricardo, foi afastado do cargo. Ele é acusado de abusar de quatro ex-coroinhas entre 2002 e 2015.

A Justiça de Araras aceitou em 11 de março deste ano a denúncia contra o religioso por atentado ao pudor. Ele nega os crimes. 

A Diocese de Limeira finalizou o processo de investigação em janeiro deste ano e enviou ao Vaticano. Ainda não houve nenhuma decisão sobre o caso por parte da igreja católica.

Publicidade