Luiz Ayrão mostra as raízes do samba no sábado

Sucesso nas rádios brasileiras dos anos 1970 e 80, o cantor retorna a Americana com canções que conquistaram fãs como Zeca Baleiro e Beth Carvalho


Foto: Divulgação
Cantor deve relembrar seus maiores sucessos no palco da festa

O samba dará o tom do primeiro sábado da Festa de Bom Jesus. E não qualquer samba, mas o de Luiz Ayrão, que acaba de lançar um disco para celebrar 50 anos de estrada, recheado de diversidade e nomes consagrados do estilo.

“Eu cunhei uma frase há pouco tempo que foi: ‘nasci num parto complicado de forte e quero morrer num palco iluminado de música’. Eu acho que todo artista quer isso, na verdade”, diz Ayrão.

Para o show que é um dos destaques da 11ª Edição da Festa do Bom Jesus, ele traz a turnê de “Um Samba de Respeito”, novo disco que reúne diferentes gerações do gênero que considera o carimbo musical do Brasil. Tudo começou com a intenção de compor algumas canções inéditas para um novo trabalho.

Inicialmente, Ayrão convidou Zeca Baleiro para gravar “Tentação de Malandra”, um samba de breque composto por seu pai.

“A minha banda começou a dizer: por que você não grava esse samba de breque? E eu disse: ‘o samba de breque acabou com Moreira da Silva’. Mas eles disseram que é um samba muito engraçado e novidade para a geração de agora. Então, eu gravei”, explica.

E Zeca Baleiro propôs chamar Zeca Pagodinho para a mesma faixa. “Eu falei: ‘será que ele vem?’ E aí, os artistas todos foram vindo”, lembra o sambista.

Do samba de breque, o disco vai variando para bossas, sambas suingados, bom-humor e romantismo.

Com Xande de Pilares, gravou “No Cravo e a Ferradura”, de sua autoria. Depois, veio “Um Samba Merece Respeito”, regravação realizada com Alcione e Diogo Nogueira. O segundo considera seu sobrinho. “Eu era um praticamente um irmão do João Nogueira, pai dele. Andava muito com o João desde adolescente, era do mesmo bairro dele”, recorda.

Novas geração. Depois, ainda veio Péricles, Toninho Geraes e a honra de gravar com Monarco, presidente de honra de sua escola de samba do coração, a Portela. A última faixa, cantou com os “amigos do coração” Demônios da Garoa.

Ayrão mostra humildade ao se referir à nova geração. “Eu fico muito feliz porque eles me chamam de mestre, o Péricles, o Xande. Mas você sabe que mestre é como se fosse pai, e a Bíblia já diz que a obrigação dos pais é fazer com que os filhos sejam melhores do que eles e eu vejo que essa geração que está aí está fazendo muito mais e brilhando muito mais do que nós brilhávamos”, afirma.

Programação completa
Confira os artistas que se apresentam no palco do evento neste ano:

  • 05/07
    Jack & Willian e Banda
  • 06/07
    Norton Costa & Banda
    Luiz Ayrão
  • 12/07
    Samba d’Aninha
  • 13/07
    Eder de Luca & Banda
    Moacyr Franco
  • 19/07
    Orquestra de Violeiros
  • 20/07
    Alto Astral
    Tony Angeli

Festa 2019

Neste ano, a Festa de Bom Jesus ocorre entre os dias 5 e 20 de julho. A igreja fica na Rua Dom Barreto, 851, na Vila Jones, em Americana.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora