Lista final de classificação dos professores temporários é publicada

Classificados devem comparecer na Secretaria de Educação no dia 19 de agosto, às 8 horas; próximas convocações são em 30 de agosto e 6 de setembro


A Prefeitura de Americana publicou no início da tarde desta terça-feira (13)  a classificação final do processo seletivo para contratar 53 professores temporários substitutos. A lista está em uma edição extraordinária do Diário Oficial do município, disponibilizada no site da prefeitura. Confira clicando aqui.

De acordo com o documento, os classificados devem comparecer na Secretaria de Educação no dia 19 de agosto, às 8 horas, para manifestarem interesse em serem contratados. As vagas serão preenchidas conforme a sequência de classificação “disponíveis no momento”.

Entretanto, o documento não traz uma data específica para o início das atividades. Nesta segunda-feira (12) a reportagem do LIBERAL questionou a prefeitura e a secretária de Educação, Evelene Ponce Medina, se havia uma previsão de quando os professores começariam a trabalhar, mas não houve retorno.

São 53 vagas no total, sendo 25 vagas para professor de creche substituto; 5 vagas para professor de Educação Básica 1 (Educação Infantil Substituto); 15 vagas para professor de Educação Básica 1 (Ensino Fundamental Substituto); uma vaga para professor Educação Básica 2 (Peb 2) Substituto para cada uma das seguintes áreas: Artes, Ciências Físicas e Biológicas, Geografia, História, Educação Física, Inglês, Língua Portuguesa e Matemática.

Ainda de acordo com o edital, as próximas convocações ocorrerão nos dias 30 de agosto e 6 de setembro.

O processo

Ao todo, foram 3.421 inscritos para as vagas. O contrato será de um ano, renovável por no máximo mais um. Segundo a prefeitura, os profissionais atuarão nas escolas da rede pública com o objetivo de suprir vacâncias, licenças, afastamentos e ausências dos titulares efetivos.

O processo de contratação havia sido barrado pela Justiça em resposta a uma ação popular movida por três educadoras que foram demitidas no corte de servidores em estágio probatório, iniciado em 2017 para reduzir despesas com folha ao limite legal de 54% das receitas, segundo a prefeitura.

O município recorreu ao TJ (Tribunal de Justiça), que manteve a decisão de primeira instância. Entretanto, a continuidade da contratação foi liberada pelo presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Dias Toffoli no dia 4 de julho. O ministro entendeu que havia grave prejuízo à prestação de serviços essenciais.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora