19 de setembro de 2020 Atualizado 16:45

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Licitação para acolher crianças termina sem interessados em Americana

Projeto para acolhimento de crianças e jovens vítimas de violência acaba sem nenhuma empresa para assumir o serviço no município

Por André Rossi

10 jan 2020 às 07:27 • Última atualização 10 jan 2020 às 09:28

Uma licitação aberta pela Secretaria de Ação Social e Desenvolvimento Humano de Americana para dar acolhimento para crianças e adolescentes vítimas de violência terminou sem nenhuma empresa interessada em assumir o serviço. O mesmo aconteceu com o edital aberto para desenvolver projetos de esporte e cultura em bairros carentes da cidade.

O resultado das concorrências foi publicado no Diário Oficial do município na última quarta. De acordo com o secretário de Ação Social e Desenvolvimento Humano de Americana, Ailton Gonçalves Dias Filho, as duas licitações foram abertas a pedido do CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente).
“Vamos comunicar ao CMDCA que não houve nenhum interessado para ver a questão da republicação do edital. Definir o que deve ser alterado para tentar atrair alguma [empresa] ”, disse Ailton.

O presidente do conselho, Antonio Dias da Fonseca, explicou que a intenção era viabilizar os projetos com recursos do FMDCA (Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente).

O primeiro deles era voltado para o acolhimento de crianças e adolescentes vítimas de violência ou violação de direitos. Estava previsto o investimento de R$ 50 mil tanto para a compra de equipamentos quanto melhorias de espaços físicos que já recebem esses jovens, de acordo com o presidente.

Já o segundo tinha investimento estimado em R$ 100 mil para desenvolver atividades esportivas e culturais em bairros carentes. “A gente sente que existe realmente uma carência de esporte e cultura nas áreas mais vulneráveis do município. O objetivo é conseguir entidades não governamentais que se proponham a desenvolver projetos”.

O presidente disse que os novos editais devem prever valores maiores. Ainda não há previsão para o relançamento.

Em novembro, outra licitação da Ação Social acabou sem propostas. A pasta pretendia oferecer o Programa de Acesso ao Mundo do Trabalho, com R$ 60 mil de recursos federais. A licitação deve ser relançada neste ano.

Publicidade