16 de setembro de 2021 Atualizado 22:47

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Laudo recomenda troca de respiradores do HM e prefeitura pede substituição à fornecedora

Documento, elaborado por um especialista em engenharia clínica, apontou defeitos graves de projeto/fabricação

Por Marina Zanaki

09 jul 2021 às 09:05 • Última atualização 09 jul 2021 às 09:07

O laudo preliminar de um dos 12 respiradores do Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi, de Americana, que estão sendo investigados apontou defeitos graves de projeto ou fabricação. O documento, elaborado por um especialista em engenharia clínica, recomendou a troca dos equipamentos, se possível por outra marca. A Secretaria de Saúde informou que já pediu a substituição dos aparelhos à fornecedora.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

“Verificamos defeitos graves de projeto/fabricação que mesmo posteriormente resolvidos poderão gerar altíssimos índices de falhas, o que poderá impactar na disponibilidade do equipamento para equipe assistencial”, escreveu o especialista.

O documento foi elaborado na semana passada pelo profissional contratado pela Secretaria de Saúde para análise dos respiradores, após denúncias de funcionários que eles não funcionavam de forma adequada para pacientes graves do coronavírus (Covid-19). Na ocasião, a própria prefeitura já havia divulgado que um problema havia sido identificado no aparelho analisado e que todos foram lacrados.

O laudo foi entregue ao Ministério Público, que também apura as irregularidades, esta semana. O LIBERAL teve acesso ao documento, em que constam análises técnicas de diversos parâmetros. Teoricamente, o equipamento analisado atende aos requisitos mínimos exigidos pela Associação de Medicina Intensiva para utilização em pacientes com Covid. Contudo, o especialista identificou que o respirador não alcançava diversos valores propostos e esperados.

A Secretaria de Saúde disse que notificou a empresa e solicitou a substituição dos equipamentos. “Em conversa com o Ministério Público, optou-se por deixar lacrados os demais equipamentos, aguardando a vistoria de um órgão oficial designado pelo MP, o que aconteceu nesta quinta-feira”, disse a pasta.

A Vigilância Sanitária Estadual realizou nesta quinta-feira, a pedido do Ministério Público, vistoria nos respiradores do Hospital Municipal. O órgão informou ao LIBERAL que interditou, cautelarmente, 12 equipamentos que apresentaram problemas técnicos.

Equipamentos são testados pela fabricante
Representante da Avante, fornecedora dos equipamentos, Carlos Pragana disse que está em contato com a fabricante dos respiradores e que ela já se dispôs a fazer a substituição. Contudo, para que isso ocorra, tanto a Avante quanto a fabricante querem ter acesso aos respiradores e realizar uma auditoria própria – no momento, esse acesso não está liberado para que todos os laudos sejam concluídos.

“Estou em contato com a fábrica, e todos estão dispostos a resolver. Se o equipamento tiver de fato (problema), a fábrica vai responder por ele, e nós como comerciantes que compramos os equipamentos assumimos a responsabilidade, claro. Mas preciso que meu engenheiro clínico me dê laudo para apontar. A fábrica se defende que tem todas as licenças necessárias, está se dispondo se for o caso a fazer a troca dos equipamentos, mas também quer ter acesso para ver qual é o tipo de problema”, disse Carlos.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

O representante lembrou que, além de todas as licenças junto aos órgãos reguladores, como a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a fabricante identifica cada equipamento com um número de chassi, relacionado aos testes realizados para aferição se ele está dentro dos padrões.

Publicidade