Lar dos Velhinhos vende kits para arrecadar verba

Entidade assistencial atende 33 idosos, no Jardim São Domingos, em Americana, e luta para conseguir fechar as contas


O Lar dos Velhinhos São Vicente de Paulo, de Americana, luta todo o mês para conseguir fechar as contas. Em dezembro, os custos com folha de pagamento aumentam por conta do 13º salário dos funcionários, e a entidade lança mão da venda de kits personalizados para conseguir arrecadar os recursos.

A entidade atende 33 idosos, com funcionamento 24 horas por dia. Dentre os moradores, há 26 que se encaixam no grau três de dependência, considerado o mais alto. Por conta disso, a demanda por funcionários é alta.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Entidade tenta conseguir recursos com venda de kits personalizados

O quadro de colaboradores é de 35 pessoas, que se revezam nas escalas de trabalho. Uma parceria firmada com o município de Americana cobre cerca de 60% dos gastos da entidade. Contudo, de acordo com a coordenadora Suellen Estevam Bortolotti, a folha de pagamento não é coberta pelo valor recebido do poder público.

Por isso, a entidade realiza festas, campanhas e bazares para conseguir levantar recursos. Esse mês, está sendo realizada uma campanha que vende itens personalizados do Lar dos Velhinhos.

Há dois modelos de camisetas, que podem ser comprados a R$ 30 cada. Uma sacola está sendo vendida a R$ 25 e um copo personalizado a R$ 12. O kit com todos os itens custa R$ 70. Eles estão sendo vendidos na sede da entidade, que fica na Avenida 9 de Julho, 733, no São Domingos. O telefone de contato é (19) 3461-1449.

A coordenadora explicou que a entidade sempre está aberta para a ajuda de voluntários, com a realização de atividades como artesanato, música, informática, contação de histórias, cuidados com cabelos e unhas, além de colaboração nas festas e bazares.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Lar dos Velhinhos atende idosos em espaço amplo no Jardim São Domingos com ajuda da prefeitura

“Começou uma parceria com educador físico que acabou não tendo continuidade, e isso é uma necessidade, por exemplo. Precisamos de pessoas que tenham compromisso, venham com frequência, no dia a dia mesmo, que estejam dispostos a trabalhar com idosos e tenha interesse pelo nosso trabalho. O que às vezes acontece é do voluntário não se fidelizar, é importante que comece e continue desenvolvendo”, disse Suellen.

Uma reunião entre a entidade e a prefeitura foi realizada na semana passada para discutir o valor do repasse de 2020. A coordenadora disse que havia preocupação pois a proposta inicial não previa reajustes, dificultando ainda mais fechar as contas, que aumentam a cada ano.

Por meio de nota, a Prefeitura de Americana explicou que estava previsto reajuste pela inflação. Contudo, diante das demandas apresentadas pela entidade, a Secretaria de Ação Social e Desenvolvimento Humano iria fazer uma reavaliação do reajuste. Ao longo de 2019, foram repassados R$ 1,162 milhão à entidade.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora