21 de janeiro de 2021 Atualizado 20:59

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Quarentena

Justiça nega reabertura de churrascaria em Americana

Prenda Gaúcha entrou com mandado de segurança para retomar atendimento presencial com rodízio

Por André Rossi

18 jun 2020 às 09:26 • Última atualização 18 jun 2020 às 10:49

A 2ª Vara Cível de Americana negou a liminar solicitada pela churrascaria Prenda Gaúcha para retomar o atendimento presencial, inclusive com opção de rodízio.

O mandado de segurança contra o decreto municipal de quarentena por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) segue em tramitação até análise do mérito.

Localizada na Avenida Fortunato Faraone, no Jardim Girassol, a churrascaria apontava na ação que tem espaço físico para atender 300 pessoas. A ideia era de que o espaço funcionasse com apenas 20% desta capacidade, com distanciamento de três metros entres as mesas, e com as medidas de higienização.

Churrascaria queria limitar atendimento a 20% da capacidade – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

A liminar foi negada na última segunda-feira (15) pelo juiz Marcos Cosme Porto. “Tem-se aqui, aparentemente, um direito individual sob sacrifício de um direito coletivo e ainda que desastrosas as consequências para um, há de se salvaguardar o direito da coletividade”, escreveu o magistrado.

Proprietário da churrascaria, Reinaldo Nascimento disse que atender via delivery não se mostrou uma opção viável, já que o forte de seu negócio era o rodízio. Ele teme não ter condições de reabrir o restaurante caso a retomada do funcionamento de bares e restaurantes no Estado demore para acontecer.

“O meu pedido dessa liminar foi da angústia de ver multidões e multidões no Centro, shopping e em outros comércios. Por que os restaurantes seriam um lugar de mais de risco para contágio? Eu tinha 30 funcionários. Imagina todo esse tempo fechado, sem nenhuma renda, sem nenhum centavo entrando e com contas de aluguel para pagar”, desabafou Nascimento.

Podcast Além da Capa
A pandemia do novo coronavírus completa três meses com a certeza de representar o maior desafio da carreira de gestores públicos em saúde, como é o caso dos secretários que atuam em cidades da região. Nesse episódio, o editor Bruno Moreira conversa com os responsáveis pelas pastas em Americana, Santa Bárbara e Nova Odessa sobre a experiência forjada pela crise.

Publicidade