Justiça Federal tenta comprar prédio para sede própria

O prédio onde as repartições funcionam hoje, na Avenida Campos Salles, é alugado e custa R$ 68 mil por mês


A Justiça Federal tenta, pela segunda vez, comprar um prédio para servir de sede própria para a Vara e o Juizado Especial Federal de Americana. O órgão lançou em abril um edital de chamamento público para interessados em lhe vender um imóvel. A estratégia é a mesma adotada no ano passado, quando só uma proposta foi apresentada, mas acabou recusada.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Justiça Federal tenta, pela segunda vez, comprar um prédio para servir de sede própria

O prédio onde as repartições funcionam hoje, na Avenida Campos Salles, é alugado e custa R$ 68 mil por mês, o que equivale a R$ 814 mil por ano. O alto custo com a locação fez com que o TRF3 (Tribunal Regional Federal) decidisse pela nova tentativa de aquisição.

O equipamento judicial atende a demandas que envolvem a União ou empresas estatais federais em cinco cidades: Americana, Arthur Nogueira, Cosmópolis, Nova Odessa e Santa Bárbara d’Oeste.

Segundo a assessoria de imprensa da Justiça Federal, duas propostas chegaram até o último dia 20, data final estipulada para a apresentação. Os endereços dos imóveis sugeridos não foram divulgados.

Não há um valor máximo estabelecido para a compra, mas o prédio oferecido deve atender a algumas exigências, como estar em área urbana de “fácil acesso” para veículos e servida por transporte público.

Poderiam participar da disputa, donos de imóveis “livres, desembaraçados e concluídos, com destinação compatível com a ocupação e instalação das atividades institucionais realizadas pela Justiça Federal”, dizia o edital.

Em 2018, após o resultado frustrado do primeiro chamamento público, o TRF3 descartou a possibilidade de construir um imóvel em Americana por “questões orçamentárias”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!