11 de agosto de 2022 Atualizado 19:52

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

PESSOAL

Jornada de 30 horas para enfermagem depende de 190 novos servidores

Levantamento feito pela Secretaria de Saúde foi mostrado ao sindicato dos servidores nesta quarta-feira

Por Rodrigo Alonso

19 de maio de 2022, às 07h32

A redução da jornada dos profissionais de enfermagem para 30 horas semanais, em Americana, depende da contratação de 190 novos servidores, conforme um levantamento encomendado pela Secretaria de Saúde.

O secretário Danilo Carvalho Oliveira revelou os dados nesta quarta-feira, em reunião com representantes do SSPMA (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Americana), na sede da pasta.

Na ocasião, esperava-se uma definição sobre a diminuição da carga horária da categoria, hoje de 40 horas semanais.

Secretário de Saúde, Danilo Oliveira, disse que especialista em dimensionamento ajudou no trabalho – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Porém, segundo Danilo, a secretária de Fazenda, Simone Inácio de França Bruno, pediu um prazo de 30 dias para apresentar o impacto financeiro das novas contratações. A decisão, então, ficará para depois.

De acordo com o secretário, para que a redução da jornada não cause desassistência na rede municipal, a prefeitura precisa contratar 39 enfermeiros e 151 técnicos de enfermagem.

“Foi contratado um especialista em dimensionamento para nos mostrar, em relação às escalas que são práticas, o número de profissionais que eu precisaria para garantir a assistência com as 30 horas”.

O tesoureiro do SSPMA, Aires Ribeiro, apontou que a implementação das 30 horas, se tudo correr bem, já pode acontecer em agosto.

“A gente está trabalhando com esse teto. Esperamos que não tenhamos mais nenhum problema para superarmos”, afirmou o sindicalista, que disse perceber uma “boa vontade” por parte do secretário.

Reivindicação. A aplicação da jornada de 30 horas semanais está prevista numa lei municipal de 2014 e já foi reivindicada pela categoria por meio de protestos.

No dia 12 de abril, o sindicato enviou à prefeitura uma proposta que mostra que a mudança é viável se houver uma adequação na escala.

“É um trabalho com vida humana. Então, você não pode errar. E, para isso, você tem de estar bem, mentalmente, fisicamente. E já foi comprovado que a jornada de 30 horas é a melhor para que o profissional possa executar bem essa função”, declarou Aires nesta quarta-feira.

Publicidade